Juíza que vai decidir prisão de Lula já condenou réu mesmo sem reconhecimento da vítima

“Sinto um desalento total. Vivemos ainda na pré-história. Não há civilização.”

(palavras do Defensor, inconformado com a decisão da meretíssima paulista)

por Rodrigo Vianna, com informações do jornalista Eduardo Prestes Diefenbach

A juíza Maria Priscilla Ernandes Veiga Oliveira é quem vai julgar o esdrúxulo pedido de prisão contra Lula, impetrado pelo MP de São Paulo. No pedido, os promotores amontoam uma pilha de bobagens, confundem Hegel com Engels e mentem de forma pura e simples.

A juíza não deu prazo para tomar uma decisão. Mas quem é essa juíza?

A gloriosa imprensa paulista registra pelo menos um caso estranho envolvendo a meretíssima: em 2008, ela julgou culpado um jovem acusado de assalto à mão armada, apesar de a vítima não ter reconhecido o acusado como autor do crime!

Simples assim. A vítima não reconheceu? Isso é um detalhe. Prenda-se!

Ah, a Justiça é cega…

===

Do Estadão, em 2008 – clique aqui para ler texto original 

O porteiro Robson Nunes, de 28 anos, está preso há quase seis meses e já teve dois pedidos de liberdade negados pela Justiça. Ele foi condenado, no dia 20 de agosto, a três anos de prisão em regime fechado por tentativa de assalto.

Seria uma história banal, das tantas que lotam as prateleiras dos cartórios dos fóruns brasileiros, não fosse o fato de que a vítima não o reconheceu como autor do crime. Nunes insiste que é inocente desde que foi preso.

Nunes conta que voltava do trabalho por volta de 19h30 do dia 8 de março deste ano, quando foi parado e detido por policiais militares. O vigia Cesar Oliveira Santana foi levado ao local por uma viatura. Ele havia sido vítima, minutos antes, de uma tentativa de roubo à mão armada por parte de dois homens – um deles usava bermuda vermelha, assim como o porteiro. Santana declarou à polícia que os dois bandidos portavam armas. Nada foi encontrado com Nunes – e ele estava sozinho.

De dentro da viatura, questionado por PMs, Santana disse ter reconhecido o porteiro. Diante da juíza Maria Priscilla Ernandes Veiga Oliveira, Santana disse que não foi Nunes o homem que tentou assaltar a empresa onde trabalha. “Não é ele, não é essa pessoa que vi aí”, disse Santana. Ele revelou ainda que na viatura estava “tumultuado e um pouco escuro.” “Não consegui ver direito”, completou.

A declaração de Santana contradiz o auto de reconhecimento de pessoa, lavrado pela polícia no dia em que Nunes foi preso. No documento, está escrito que Nunes foi reconhecido “em local onde se encontravam várias pessoas, e entre elas o preso”. Nada foi suficiente para livrá-lo da cadeia.

Na primeira negativa de liberdade, Maria Priscilla justificou haver indícios suficientes de ter sido Nunes o autor do crime. Na segunda, o desembargador Eduardo Antônio di Rissio Barbosa afirmou que não havia circunstâncias que autorizassem a liberação do porteiro. Na sentença, a juíza disse que a vítima não reconheceu Nunes no Fórum porque teve medo – a afirmação foi feita com base em sua observação, já que nada foi dito pela vítima.

O último recurso foi protocolado pelo defensor público Adenor Ferreira da Silva, que soube do caso por meio de amigos e se solidarizou. “Sinto um desalento total. Vivemos ainda na pré-história. Não há civilização.” Os bons antecedentes, o trabalho fixo e as declarações de boa índole em favor de Nunes não foram considerados. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

The post Juíza que vai decidir prisão de Lula já condenou réu mesmo sem reconhecimento da vítima appeared first on Escrevinhador.

Publicação de: Portal Forum

2 Comments

  1. Hoje minha família e eu passamos pela mesma situação em q já se encontrou o então porteiro em questão.
    A Meritíssima Juíza, impetrou prisão preventiva ao meu irmão JOSÉ CARLOS APARECIDO MARTINS por caso semelhante.
    Ocorre q o mesmo adquiriu em setembro de 2016 um aparelho de celular nas ruas do centro de SÃO PAULO, meses depois exatamente no dia 26/12/2016 ao passar por uma rua do Bairro do Jaçan? dentro de um Veiculo Corsa Hatch Verde na posicao de passageiro e na companhia de um amigo q o pegara afim de irem concertar o carro, ele foi abordado numa dessas muitas viaturas de Ronda Escolar.
    Ao abordar-lhe os Policiais pediram pra decerem do veiculo e na averiguação encontraram o então celular dado como roubado.
    Meu irmão na intenção de na obstrução da LEI os acompanhou ate a 73 Delegacia de polícia (tbm no bairro do Jaçan?), pois percebeu ali q seria autuado como receptador.
    Só que a lei pra NEGROS tem sua diferença, pra ela somos como os ORIENTAIS.
    Já na Delegacia ele foi reconhecido pela então vítima como o autor do roubo, detalhe que esse “reconhecimento” foi feito através de foto de rosto tirada com o próprio celular até então do meu irmao.
    No B.O a mesma apontou q se tratavam de dois rapazes de capacete pilotando uma motocicleta da HONDA cujo o Modelo era uma BIS???
    Aí vcs me perguntam o pq dos risos irônicos, é q meu irmão tem cerca de 125 Kls e exatos 1,70 de altura (ele é gordo) detalhe ele é moreno e não negro.
    Só que na audiência está mesma “vitima” em questão mesmo estando sobre Juramento, alegou que se recordava de um pirceng no olho e sim meu irmão sempre usou piercing.
    Então lhes pergunto pq a mesma não apontou tão peculiar detalhe no B.O. na data de roubo, pq a tal “vítima” não disse que se tratava de um rapaz tão gordo em cima de uma BIS, sim, pq vcs ão de concordar comigo, esses são detalhes importantíssimos e difíceis de se esquecer ao lavrar um Boletim de Ocorrência.
    E os POLICIAIS então, que alegaram q ele foi abordado caminhando na rua…
    Hem?
    Como??
    Oi???
    É pq vcs se recordam do Corsa Hatch Verde onde ele estava com um amigo? Então kd esse detalhe no B.O..
    Pois é minha gente, a coisa tá muito feia?
    A MERETISSIMA EXCELENCIA diante disso resolveu prender preventivamente o meu irmão.
    Esse pai de duas filhas menores de dois anos, Micro Empresário Individual, trabalhador atualmente no ramo de Free Lancer como Camera Mam de uma empresa de terceirizacao para canais como BAND, SPORTV, realits show como XFACTOR e BATALHA NA COZINHA. Jovem este com endereço fixo, MEI em dia, conta bancária com movimentação normal, amigo e conhecido de muita gente q o ama, incluindo Políticos, Policiais e Professores.
    Será mesmo q uma vítima diz sempre a vdd?
    Será que a justiça realmente é justa?

    Diante dos fatos peço encarecidamente a ajuda de quem aqui ler essa minha breve história e ser tocado por Deus para nos ajudar!

    Esse é o nosso BRASIL
    Nu e cru

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© 2017 bita brasil

Theme by Anders NorénUp ↑