Jornal Nacional edita vídeo de delator e evita menção a “reunião” de Aécio com colaborador da emissora em restaurante

Da Redação

Numa reportagem sobre a delação do ex-executivo da Odebrecht Henrique Valladares, o Jornal Nacional omitiu trecho em que ele narra ter testemunhado suposta “reunião” do agora presidente do PSDB, Aécio Neves, com o empresário Alexandre Accioly e o colunista Diogo Mainardi, ex-Veja, hoje no site Antagonista, a quem Valladares se refere como “aquele do Manhattan Connection“, programa da GloboNews, do Grupo Globo.

Foi por acaso, no restaurante Gero do Rio de Janeiro, onde foi com a esposa, que Valladares descobriu que Aécio e Accioly eram amigos. No vídeo (ver acima), é ele quem caracteriza o que viu na mesa de Aécio, Accioly e Mainardi como “reunião”, embora nada diga sobre o que teria sido tratado ali.

Mais tarde, Valladares recebeu de Dimas Toledo, ex-diretor de Furnas e homem próximo do senador mineiro, um papel pedindo que um dos pagamentos a Aécio fosse feito em nome de Accioly, em Singapura.

Numa troca de acusações com a revista Fórum, que noticiou a delação, Mainardi disse que foi apenas um encontro “casual” e se referiu ao editor Renato Rovai como “criminoso”, “bandido” e “safado” por supor que algo de ilegal tenha sido tratado no encontro.

No vídeo o delator diz que seu superior Marcelo Odebrecht tinha fechado acordo para pagamento de R$ 50 milhões a Aécio Neves “por fora” antes da construção da usina hidrelétrica de Jirau, em Rondônia.

A contrapartida: o governador de Minas Gerais atuaria de forma a não atrapalhar o negócio da Odebrecht, já que a empresa estatal de energia mineira Cemig também estava envolvida no projeto.

“Os pagamentos nesse caso, ao contrário da maioria dos outros, eram feitos no Exterior”, explicou.

Embora tenha tratado da denúncia em longa reportagem, o Jornal Nacional escolheu deixar de fora a menção à reunião que, segundo o delator, ele testemunhou no Rio. Como Mainardi trabalha em um programa da emissora, o mais justo — inclusive com o colunista — teria sido exibir o conteúdo e permitir que ele se explicasse.

Mainardi, quando ainda trabalhava na revista Veja, denunciou o colega Franklin Martins, então comentarista político da Globo.

Quem acompanhou o caso de perto nos bastidores da emissora diz que foi um dos motivos para a demissão de Franklin por Ali Kamel, que ascendeu na emissora para impor linha editorial claramente favorável aos negócios e interesses dos herdeiros de Roberto Marinho — críticas sempre muito contundentes ao PT, jamais repetidas quando se tratava do PSDB.

Hoje, Kamel é o homem forte do jornalismo da Globo.

Recentemente, o Blog da Cidadania revelou que foi a empresa do marqueteiro de Aécio Neves, Paulo Vasconcelos, quem concebeu o site Antagonista, de Mainardi. Repasses que beneficiavam Aécio também teriam sido feitos através de negócios de Vasconcelos, segundo as delações.

Num deles, a Odebrecht firmou um contrato fictício com a PVR Marketing e Propaganda Ltda. para um projeto publicitário cujo objetivo seria aproximar o governo do povo de Angola. Foram R$ 3 milhões que na verdade beneficiaram a campanha presidencial de Aécio em 2014.

Derrotado, o senador tucano assumiu a presidência do PSDB e passou a articular nos bastidores o golpe juridico-midiático-parlamentar contra Dilma Rousseff, do qual a Globo foi peça-chave.

A quebra do sigilo bancário da Odebrecht e a própria colaboração da empresa poderão, agora, permitir seguir o fluxo do dinheiro e confirmar se houve mais gente, além de Aécio, a se beneficiar direta ou indiretamente da propina.

Leia também:

Rogério Correia: Se tudo for investigado, Aécio será preso

O post Jornal Nacional edita vídeo de delator e evita menção a “reunião” de Aécio com colaborador da emissora em restaurante apareceu primeiro em Viomundo – O que você não vê na mídia.

Publicação de: Viomundo

1 Comment

  1. AVALIAÇÃO DA MTV INTERCAMBIOS

    Data – 08/06/2017

    nome do cliente/agenciado: PEDRO HENRIQUE

    cidade /estado: CUIABÁ/MT

    Em qual cidade/estado você nasceu? VARZEA GRANDE/MT
    Nível do seu Inglês? AVANÇADO
    Tempo de experiência em Turismo e Hotelaria? 2 MESES

    Programa de Intercâmbio escolhido : PACOTE COMPLETO INTEGRAL
    Aprovado para qual país / cargo/salário: DUBAI/WAITER/1300 DIHRAMS
    Tempo de agenciamento desde o pagamento da nossa taxa até fazer a primeira entrevista internacional? : 2 MESES
    Tempo de agenciamento desde o pagamento da nossa taxa até receber a Carta de Emprego internacional ( Job Offer ): 3 MESES

    Favor assinalar toda a assessoria que recebeu até o momento:

    (X) Confecção do dossiê do candidato
    (X) Envio de diversas vagas de emprego por e-mail
    (X) Agendamento de entrevistas com empregadores no Emirados Árabes
    (X) Envio da passagem aérea, visto de trabalho e Contrato de trabalho por dois anos
    (X) Acomodação, alimen

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© 2017 bita brasil

Theme by Anders NorénUp ↑