Viola popular

A trajetória musical de mais de duas décadas é acompanhada pela velha viola caipira

Juliana Golçalves |
Nascido em Patos de Minas, Luiz começou a cantar na infância e tem a tradição popular como base de suas composições Crédito Lila Salgado/Reprodução Pessoal

Cantadô, é assim que se define Luiz Salgado, compositor do cerrado mineiro, nascido em Patos de Minas (MG). A viola, companheira por mais de duas décadas, dá o tom para a folia de reis e o congado, tradições populares brasileiras que permeiam a vida do artista.

”É uma coisa que para mim sempre foi muito natural e espontânea desde criança. Eu lembro de cantar com seis anos de idade na escola para os colegas, em casa para as visitas, meu pai toca sanfona e sempre me botava para cantar para as visitas. Isso influencia diretamente meu trabalho, não poderia deixar de cantar isso de forma alguma, por questão de gosto e por estar sendo leal com as minha alma, de estar cantando algo que gosto, que conheço e me ensinou tanto. Todo disco meu tem folia de reis, todos eles.”, conta o artista que tem na família a influência de sua trajetória artística. 

Com cinco discos lançados, Salgado dedicou o terceiro deles para o público infantil. O álbum “Navegantes” promove o encontro das crianças com o lúdico que habita a cultura popular e as cantigas de roda. Uma das favoritas dele é a canção “Égua branca”.

“Eu tinha uma égua que marvada num cresceu, cresceu até cinco parmo e depois a égua encolheu”, canta Salgado “desde que tinha seis anos, minha avó me ensinou e eu quis gravar porque achava engraçado, meus colegas gostavam, aí pensei que se as crianças da minha época gostavam, vou colocar no CD também. Sempre gostei muito de criança, gosto de brincar, sou meio erê até hoje”, comenta o artista que passou o amor pela cultura popular para o filho, Antônio, de cinco anos. Eles gravaram juntos uma faixa do álbum “Navegantes”.

A relação do homem com a terra também é tema das canções de Salgado. A grande inspiração para as composições com essa temática é o cerrado, onde nasceu e foi criado: “Eu não poderia deixar de cantar outra coisa que não fosse o cerrado, onde vivo e o onde se manifesta para mim as maiores inspirações de minhas músicas…é um bioma muito sutil.”, comenta. 

Em visita aos estúdios da Radioagência Brasil de Fato, Luiz Salgado deu uma palhinha, cantando uma folia de reis composta por Domar da Conceição de Goiás:”Satisfação, prazer insofismável estar aqui falando com ceis tudo hoje, aquele forte abraço um saudoso bom dia, boa tarde, boa noite para ceis tudo. E inté!”