AuthorLunes Senes

Justiça para Lula tardou, mas veio

A cada dia, Moro e os procuradores da Lava Jato se complicam mais. Agora têm que mudar suas versões. Antes, diziam não ver nada demais no que estava sendo revelado. Agora que vazaram canalhices como usar a esposa morta de Lula para atacá-lo, negam tudo. Os que acreditam na verdade sabiam que Lula seria redimido. E está acontecendo…

Antes, Moro dizia não ver “nada demais” nos diálogos dele com procuradores da Lava jato divulgados pelo The Intercept Brasil. Mourão, Bolsonaro, Dallagnol e todos os procuradores citados pelas denúncias, devido à gravidade do que está vindo à tona foram obrigados a passar a negar o que disseram e fizeram.

Eles começaram a passar vergonha. Amigos, colegas, ex-colegas, professores, a sociedade civil em geral está chocada com o nível de canalhice de Moro e dos procuradores no afã de condenar Lula de qualquer jeito. A canalhice é tanta que um ex-professor de Dallagnol criticou suas atitudes que vêm sendo reveladas.

O Intercept revelou, na sexta-feira, que Moro e os procuradores traçaram estratégias junto com a mídia (Globo?) contra Lula. Chegaram a usar a falecida esposa de Lula para atacá-lo, usando a expressão de mafiosos “ir direto na jugular” do ex-presidente acusando-o de jogar a culpa de seus atos nas costas da esposa falecida

Não vai adiantar. O editor do site The Intercept, Glenn Greenwald, promete que a cada mentira que contarem virá uma nova denúncia com fatos ainda mais comprometedores. Como o material é muito extenso, a estratégia do premiado jornalista está sendo a de ir soltando as denúncias em capítulos.

Uma frase de Greenwald resume toda vilania, toda a ambição desmedida, toda falta de escrúpulos desse grupo de pretensos super-heróis:

Enquanto julgava o processo criminal contra Lula, Moro secretamente zombava da defesa em conversas secretas com os promotores. Pior, ele estava dirigindo sua campanha pública contra o mesmo réu que ele estava julgando

Moro, Dallagnol e os outros procuradores dessa trama sórdida tinham um aliado de peso, a Globo. Mentiram, inventaram, falsificaram, ameaçaram para lucrar politicamente, para poderem dar palestras milionárias, para serem indicados a cargos públicos. Em nenhum momento pensaram nas vidas que estavam destruindo.

Não poderia dar certo. E não vai dar. Tiraram tudo de Lula. Sua esposa, seus bens, sua liberdade. Foram longe demais.

Former Brazilian president Luiz Inacio Lula da Silva cries next to the priest and supporters in the wake of Marisa Leticia, the wife of him, in Sao Bernardo Do Campo, near Sao Paulo, Brazil February 4, 2017. REUTERS/Nacho Doce

Não se sabe se existe algum Deus que paira sobre tudo e todos e promove sua  Justiça Divina, mas essa explosão de verdade que estamos vendo pode ser interpretada como um sinal de que alguma força cósmica deve estar fazendo Justiça a esse homem cujo único crime foi melhorar a vida dos brasileiros mais pobres.

Confira a reportagem em vídeo

 

O post Justiça para Lula tardou, mas veio apareceu primeiro em Blog da Cidadania.

Publicação de: Blog da Cidadania

Bolsonaro não confia 100% em Moro

Por Esmael Morais

Publicado em 15/06/2019

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse neste sábado (15), em Brasília, que não confia 100% no ministro da Justiça, Sérgio Moro, que protagoniza o escândalo do vazamento de conversas publicadas pelo site Intercept.

Ao deixar o Palácio da Alvorada, residência oficial do presidente da República, Bolsonaro afirmou que 100% só confia no pai ou na mãe.

LEIA TAMBÉM
CPMI do Moro inexorável no Congresso; ex-juiz pode ter prisão decretada pelo STF

“Eu não sei das particularidades da vida do Moro. Eu não frequento a casa dele. Ele não frequenta a minha casa por questão até de local onde moram nossas famílias. Mas mesmo assim, meu pai dizia para mim: confie 100% só em mim e na mãe”, declarou.
 
O Intercept revelou ao País que Moro, após depoimento de Lula no caso tríplex, ordenou a procuradores do Ministério Público Federal do Paraná (MPF-PR) que divulgassem nota à imprensa para desmontar o ‘showzinho da defesa’ do ex-presidente da República.

O sistema penal acusatório previsto na Constituição Federal proíbe veementemente que o julgador atue para enfraquecer a defesa reforçando a acusação. A falta de imparcialidade do julgador causa nulidade absoluta de sentença.

Publicação de: Blog do Esmael

Professores do Paraná farão greve contra Ratinho Jr.

Por Esmael Morais

Publicado em 15/06/2019

Os professores(as) e servidores(as) da rede pública estadual de ensino decidiram entrar em greve, por tempo indeterminado, a partir do dia 25 de junho. A decisão foi tomada em assembleia da APP-Sindicato neste sábado (15) em Curitiba.

Segundo a APP, a medida é consequência da falta de resposta do governador Ratinho Junior (PSD) para as reivindicações da categoria, principalmente o pagamento da reposição salarial do funcionalismo.

“Já são quase quatro anos de sacrifício dos servidores. Não estamos pedindo aumento, é apenas a reposição das perdas da inflação”, diz o presidente da APP-Sindicato, professor Hermes Leão. Ele acrescenta que a indignação da categoria aumenta a cada dia também por conta de políticas de perseguição e desvalorização dos(as) educadores(as).

Com a decisão, os(as) trabalhadores(as) da educação paranaense vão se juntar a outras categorias do serviço público estadual na greve unificada convocada pelo Fórum das Entidades Sindicais (FES).

Os sindicatos também criticam a postura do governador. Durante a campanha eleitoral, Ratinho prometeu pagar a data-base. Disse que se reuniria com os sindicatos em um dos primeiros atos do seu governo. Depois da posse, não cumpriu as promessas.

As informações são da APP-Sindicato.

Publicação de: Blog do Esmael

Bolsonaro ameaça Levy do BNDES por causa de assessor

Por Esmael Morais

Publicado em 15/06/2019

O presidente Bolsonaro humilhou e ameaçou com a demissão o presidente do BNDES, Joaquim Levy. Tudo por causa de um assessor que o presidente sequer lembra o nome.

Segundo o Globo, Bolsonaro  disse que Levy “não vem sendo leal” a ele. Ô, dó.

“Qual o nome do assessor do BNDES? … Marcos Pinto. O Levy o nomeou para uma função no BNDES. Eu já estou por aqui com o Levy. Falei para ele: demita esse cara na segunda-feira ou eu demito você sem passar pelo Paulo Guedes.”

LEIA TAMBÉM: CPMI do Moro inexorável no Congresso; ex-juiz pode ter prisão decretada pelo STF

Marcos Barbosa Pinto, diretor da área de Mercado de Capitais do BNDES. Esse é o assessor que Levy deve demitir para não ser demitido.

Joaquim Levy foi ministro da Fazenda no governo da presidenta Dilma Rousseff do PT.

Com informações do Globo.

Publicação de: Blog do Esmael

Glenn: Temos muito mais sobre o Moro, não sei se ele sobreviverá; veja

Greenwald: temos muito mais sobre Moro e não sei se ele resistirá. Veja

 Fernando Brito, Tijolaço, sugerido por Lúcia Rodrigues 

Recomendo vivamente que você assista esta entrevista de Glenn Greenwald ao Democracy Now, canal de notícias norte-americano.

Em sua língua nativa – com as traduções no vídeo – o jornalista se expressa muito melhor do que tem falado aqui, confirma a existência de áudios no material que possui e assegura que vai divulgá-los em breve.

A entrevista, nada parecida com as que se faz aqui, onde o centro das preocupações é a forma pela qual foram obtidas as informações – secundárias jornalisticamente – e não o que elas revelam, passa a ser o foco da imprensa.

A segurança com que ele fala sobre o que está por vir é que fundamenta seu veredito: não pode assegurar que continuará ministro, porque isso depende de Bolsonaro, mas crê que ele foi enfraquecido com o que se publicou e será muito mais com o que vai ser publicado.

“Não sei se ele sobreviverá a isso”, diz.

Publicação de: Viomundo

CPMI do Moro inexorável no Congresso; ex-juiz pode ter prisão decretada pelo STF

Por Esmael Morais

Publicado em 15/06/2019

O Congresso Nacional está cada vez mais convicto de que será inexorável a instalação de uma Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CMPI) para investigar o ministro da Justiça, Sérgio Moro, ex-juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba por conluio com integrantes da força-tarefa Lava Jato.

A sexta reportagem do site Intercept Brasil revelou na noite desta sexta-feira (14) que o Moro, após depoimento de Lula no caso tríplex, ordenou que procuradores do Ministério Público Federal do Paraná (MPF-PR) divulgassem nota à imprensa para desmontar o ‘showzinho da defesa’ do ex-presidente da República.

O sistema penal acusatório previsto na Constituição Federal proíbe veementemente que o julgador atue para enfraquecer a defesa reforçando a acusação. A falta de imparcialidade do julgador causa nulidade absoluta de sentença.

LEIA TAMBÉM
Advogados pedem afastamento de Moro por lesão à moralidade

Deputados e senadores dizem que há base material para sustentar uma CPMI para investigar indícios de atuação criminosa do ex-juiz Sérgio Moro e de procuradores da Lava Jato no exercício da função jurisdicional.

Paralelamente, congressistas das duas Casas estudam a possibilidade de pedir a prisão preventiva do ministro da Justiça junto ao Supremo Tribunal Federal (STF). Eles alegam que Moro pode utilizar o aparato estatal para destruir provas que o incriminem. A mesma opinião compartilha o cientista político Alberto Carlos de Almeida, autor do Livro “A cabeça do brasileiro” que escreveu no Twitter que existem elementos suficientes para a prisão preventiva do ex-juiz Sérgio Moro. “Neste momento, ele pode estar destruindo as provas”.

A defesa de Lula também estuda medidas cautelares contra o ex-juiz Sérgio Moro, pois, segundo dirigentes petista, estão presentes os requisitos para a decretação da prisão preventiva do ministro da Justiça pelo STF.

O ministro da Justiça, Sérgio Moro, em entrevista ao Estadão, desafiou o Intercept a publicar novas matérias sobre a perseguição política e ideológica a Lula. “Publiquem tudo se quiserem”, provocou o ex-juiz, que logo no início da noite desta sexta obteve a resposta com mais uma “bomba” lançada pelo site fundado pelo jornalista Glenn Greenwald.

“Temos áudios deles [Moro e procuradores da Lava Jato] em aplicativos como WhatsApp e Telegram”, adiantou Greenwald.

Publicação de: Blog do Esmael

JN citado por Deltan dedicou 98% do tempo a Lula; Moro disse que não era da acusação horas antes de orientar MP a atacar defesa

[embedded content]

“O juiz não tem nenhuma relação com o que a imprensa publica ou não publica”, disse Moro neste trecho de um dos depoimentos de Lula; o ex-presidente foi presciente sobre o futuro. Vídeo sugerido por Artur Scavone.

Da Redação

No dia 10 de maio de 2017, quando Lula testemunhou diante do juiz Moro, em Curitiba, o procurador Deltan Dallagnol trocou mensagem com colegas e com o juiz afirmando que o Jornal Nacional voltaria a tratar do assunto no dia seguinte, 11 de maio.

O JN havia avisado a seus telespectadores no dia 10 que havia faltado tempo para completar a cobertura do depoimento de Lula, que foi noite adentro.

De acordo com a mais nova troca de mensagens revelada pelo Intercept Brasil, eram 22h12 minutos da noite do depoimento quando Moro sugeriu que o MP editasse uma nota de imprensa mostrando as contradições de Lula durante o depoimento.

“Por que a Defesa já fez o showzinho dela”, escreveu Moro.

O juiz-editor demonstrava preocupação: segundo ele os jornalistas não se preocupavam com os detalhes do processo.

No dia seguinte, de fato, o JN voltou a tratar do assunto: dedicou 5 das sete manchetes a Lula, inclusive com detalhes dos depoimentos recém-revelados dos delatores João Santana e de sua esposa Monica, contra Lula e o PT.

O jogral iniciou-se assim:

Você vai ver os principais questionamentos do juiz Sérgio Moro.

E as respostas do ex-presidente.

As próximas fases do processo que apura o caso do tríplex no Guarujá.

O Ministério Publico e a defesa pedem que mais testemunhas sejam ouvidas.

O Supremo retira o sigilo das delações do marqueteiro de campanhas petistas João Santana e da mulher dele

Santana disse que Lula sabia de pagamentos feitos por fora no Exterior.

Naquela noite, o JN dedicou 98% do seu tempo a Lula (contando os depoimentos de Santana e Monica).

Embora Lula tenha tido direito de defesa na reportagem sobre seu depoimento, que durou 31 minutos e 20 segundos, o JN fez justamente o que Moro havia sugerido na nota que pediu aos procuradores.

Focou o miolo da reportagem nas supostas contradições ou pontos fracos de Lula:

    1. O fato de que a OAS havia comprado móveis tanto para o tríplex quanto para o sítio de Atibaia;
    2. O fato de que Lula primeiro disse que o tesoureiro do PT Joao Vaccari não conhecia Roberto Duque, diretor da Petrobrás, mas depois ter usado Vaccari para chegar a Duque e marcar um encontro com ele, Duque, no aeroporto de Congonhas;
    3. O fato de Lula dizer que não tinha influência no partido tanto quanto diziam as autoridades, quando tinha sido fundador, presidente do PT e da República.

Chamam a atenção nos trechos escolhidos pelo JN a declaração inicial de Moro, dizendo que “de minha parte eu não tenho qualquer desavença pessoal em relação ao ex-presidente”.

Em seguida, horas antes de pedir a nota contra a defesa de Lula ao MP, Moro afirmou: “Quem faz a acusação neste processo é o MP, não o juiz”.

Moro reclamou que tinha sido vítima de ataques de blogs na internet, “blogs supostamente patrocinadores do senhor”.

Antes, enfatizou: “A imprensa não tem qualquer papel nesse julgamento”.

Porém, horas depois, o ex-juiz federal sugeriu que o MP usasse a imprensa para atacar a defesa de Lula!

Em retrospectiva, chamam a atenção: a declaração do ex-presidente Lula de que a História iria julgar se o MPF e a PF cometeram abuso de autoridade em seu caso e a alfinetada em Moro: “O dia que o senhor for político, vai usar força de expressão no palanque”.

Publicação de: Viomundo

Defesa de Lula em nota: o que Moro fez é repugnante

Nota dos advogados do ex-Presidente Lula

É estarrecedor constatar que o juiz da causa, após auxiliar os procuradores da Lava Jato a construir uma acusação artificial contra Lula, os tenha orientado a desconstruir a atuação da defesa técnica do ex-Presidente e a própria defesa pessoal por ele realizada durante seu interrogatório (10/05/2017). As novas mensagens reveladas ontem (14/06/2019) pelo “The Intercept”, para além de afastar qualquer dúvida de que o ex-juiz Sérgio Moro jamais teve um olhar imparcial em relação a Lula, mostram o patrocínio estatal de uma perseguição pessoal e profissional, respectivamente, ao ex-Presidente e aos advogados por ele constituídos.

É inimaginável dentro de um Estado de Direito que o Estado-juiz e o Estado-acusador se unam em um bloco monolítico para atacar o acusado e seus advogados com o objetivo de impor condenações a pessoa que sabem não ter praticado qualquer crime.

É repugnante, ainda, constatar que a campanha midiática ocorrida em maio de 2017 objetivando atacar a memória de D. Marisa Letícia Lula da Silva tenha sido tramada pela Lava Jato, como também revelam as mensagens do “The Intercept”.

Tais fatos, públicos e notórios, reforçam o que sempre defendemos nos processos e no comunicado encaminhado em julho de 2016 ao Comitê de Direitos Humanos da ONU: Lula é vítima de “lawfare” e o ataque aos seus advogados é uma das táticas utilizadas para essa prática nefasta.

Cristiano Zanin Martins e Valeska Teixeira Zanin Martins (15/06/2019)

O post Defesa de Lula em nota: o que Moro fez é repugnante apareceu primeiro em Blog da Cidadania.

Publicação de: Blog da Cidadania

Advogados pedem afastamento de Moro por lesão à moralidade

Por Esmael Morais

Publicado em 15/06/2019

Quatro advogados entram nesta sexta-feira (14) com uma ação na Justiça Federal de São Paulo pedindo o afastamento do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, por “lesão à moralidade administrativa”.

Na ação, os advogados citam as conversas divulgadas pelo site The Intercept Brasil que mostram que Sérgio Moro coordenava informalmente a Lava Jato quando era juiz.

LEIA TAMBÉM:
Nota da defesa de Lula sobre novos crimes de Moro revelados pelo Intercept

“A cronologia dos fatos, como ora se passará a expor, denota que o então magistrado federal atuou na Operação Lava Jato na condição de Juiz/Procurador, colocando em xeque a lisura dos procedimentos e fatos apurados no bojo da assim denominada Operação Lava Jato”, diz o documento.

O documento, assinado pelos advogados Sean Hendrikus Kompier Abib, Eduardo Samuel Fonseca, Anderson Bezerra Lopes e Gilney Melo, argumenta omissão do presidente Jair Bolsonaro (PSL) no caso, que teria caráter “ilegal e lesivo à moralidade administrativa”. Além disso, também argumenta que o fato de Moro, como ministro da Justiça, ser chefe da Polícia Federal impede uma apuração correta dos fatos por parte da instituição.

Com informações do Uol

Publicação de: Blog do Esmael

Partido espanhol exige a imediata liberdade de Lula

Por Esmael Morais

Publicado em 15/06/2019

O partido Esquerda Unida da Espanha divulgou uma nota, nesta sexta-feira (14), por meio do seu diretor federal de Política Internacional, Fran Pérez Esteban, para exigir a imediata liberdade de Luiz Inácio Lula da Silva, após o conluio do ex-juiz Sérgio Moro e do procurador Deltan Dallagnol ser revelado pelo site The Intercept Brasil. No comunicado, o partido lembra que o ex-presidente foi “condenado sem provas” por meio de uma farsa judicial.

Esteban destacou ainda que a perseguição política a Lula teve como objetivo tirá-lo da disputa de uma eleição em que venceria qualquer adversário. O dirigente espanhol lembrou ainda do “trabalho decisivo do então juiz Sérgio Moro, que foi descaradamente premiado por Bolsonaro como Ministro da Justiça”.

LEIA TAMBÉM:
“Moro pode estar destruindo provas”, diz cientista político

O diretor federal de Política Internacional do partido apontou que “existem elementos suficientes para que se anule todo o processo contra Lula” e, com isso, ele deixe a condição de preso político em que se encontra.

Confira a íntegra do comunicado:

Comunicado do Esquerda Unida

As informações são do PT

Publicação de: Blog do Esmael

© 2019 bita brasil

Theme by Anders NorénUp ↑