A revista Veja fez um belo trabalho jornalístico ao encontrar o porteiro que implicou o presidente Bolsonaro na caso do assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes. Mas prestou um grande desserviço ao expor sua foto na capa e divulgar seu nome e endereço.

Outros órgãos de imprensa preferiram omitir informações sobre os porteiros por razões de segurança.

Além disso, a revista refutou a versão que ele prestou em depoimento ao Ministério Público do Rio de Janeiro. Ou seja, chamou o trabalhador de mentiroso.

LEIA TAMBÉM
Caso Marielle: Associações de delegados repudiam declarações de Bolsonaro

Bolsonaro diz que Witzel manipulou apuração do caso Marielle

Globo liga a Bolsonaro suspeitos de matar Marielle; STF deve investigar caso penal

A revista esclareceu, como já era sabido, que dois porteiros trabalham ao mesmo tempo no condomínio Vivendas da Barra. No local residem a família do presidente além de um dos assassinos de Marielle.

No dia do crime, o outro assassino foi ao condomínio. Um dos porteiros diz que ele pediu para acessar a casa do “Seu Jair”. Se isso é mentira, qual seria o objetivo?

Segundo a tese da revista, a ideia de ligar Bolsonaro ao crime partiu dos próprios assassinos, para confundir o caso. Vai vendo…

Publicação de: Blog do Esmael