Da Redação

O ex-presidente Lula fará um ato diante da sede da Polícia Federal em Curitiba e outro no Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo, no ABC Paulista, depois de deixar a prisão.

A informação é do diário conservador carioca O Globo.

Lula pode deixar a sede da PF no Paraná na próxima segunda-feira, depois de 580 dias encarcerado.

Os advogados Cristiano Zanin Martins e Valeska Martins estão reunidos com o ex-presidente agora cedo, em Curitiba.

Só depois vão encaminhar o pedido de soltura.

Poderão fazer isso simultaneamente ao STJ e à juiza de execuções penais Carolina Lebbos.

Se a soltura acontecer na segunda-feira, tem menor potencial de repercussão midiática e de atrair a multidão que se espera em Curitiba para recepcionar o ex-presidente.

É possível que assessores de Lula tenham feito alguma combinação com autoridades para preservar a integridade física do ex-presidente, diante da radicalização do bolsonarismo e do risco de atentados.

De acordo com O Globo, Lula pretende fazer um giro nacional e outro internacional, para agradecer personalidades que lhe deram apoio durante os 580 dias de prisão.

Ele vai atuar nas campanhas dos candidatos do PT às eleições municipais de 2020, diz o jornal da família Marinho.

Lula pode ser um fator moderador da política nacional neste momento de polarização, em que um jornalista usa um murro flácido como argumento e envergonha a profissão. 

Vai ser importante decifrar as mensagens que Lula embutirá em seus próximos discursos para entender o que se passa nos bastidores da política nacional e os rumos do Partido dos Trabalhadores.

Apesar da complexidade do PT, o ex-presidente dita os rumos do partido por ter construído paralelamente à estrutura partidária o lulismo, o fenômeno eleitoral que garantiu sua reeleição e o de sua sucessora Dilma Rousseff.

Publicação de: Viomundo