O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, usou e depois cuspiu o seu colega brasileiro Jair Bolsonaro (PSL) no caso OCDE.

Segundo a agência Bloomberg, o governo dos EUA se recusou a endossar a tentativa do Brasil de ingressar na Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Para a Bloomberg, trata-se de uma reviravolta após meses de apoio público por parte das principais autoridades norte-americanas.

É mais do que isso. Trump fez Bolsonaro de tonto em público. Uso e descartou o presidente brasileiro. Cuspiu o “Coiso” sem dó nem piedade.

O beijo na morte no “tonto” presidente Jair Bolsonaro foi dado pelo secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, aquele de quem o capitão puxou o saco já no primeiro dia de governo.

LEIA TAMBÉM
Bolsonaro diz ter “quase certeza” que óleo em praias do Nordeste é criminoso

Maduro, o Super-Bigode, pode derrubar o presidente do Equador; assista

Bolsonaro bate-boca com jornalista da Globo

Ainda de acordo do a agência Bloomberg News, Pompeo rejeitou um pedido para discutir uma nova ampliação da OCDE, do clube dos países mais ricos, de acordo com a cópia de uma carta enviada ao secretário-geral da entidade, Angel Gurria, em 28 de agosto. Na carta, o secretário de Estado norte-americano deixou claro que Washington apoia apenas as candidaturas de adesão de Argentina e Romênia.

Bolsonaro desprezou o Mercosul, fez firula com a China, Rússia e União Europeia. Agora ficou chupando os dedos, isto é, deixou os exportadores brasileiros sem mercado mundo afora.

O líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (RS), classificou a reviravolta na OCDE como uma das maiores humilhações que o Brasil já sofreu na história de suas relações internacionais.

“Esse é o pagamento a Bolsonaro por ser o maior lambe-botas de Trump no mundo e querer indicar pra embaixador o filho fritador de hamburguer”, discursa o petista.

Publicação de: Blog do Esmael