A plenária final do 13º Congresso da Central Única dos Trabalhadores (CUT) realizada nesta quinta-feira (10) elegeu o dirigente sindical metalúrgico Sérgio Nobre para a presidência da entidade.

Em seu discurso de posse, Sérgio Nobre agradeceu a todos e todas que participaram do 13º Concut pela qualidade rica dos debates, pelo esforço na construção do Congresso e, em especial, aos sindicatos de base, aos presidentes das CUT’s estaduais e a todos os funcionários da Central que trabalharam meses na organização do congresso.

Ele destacou que “o período de seu mandato será duro em consequência dos ataques aos direitos que a classe trabalhadora vem sofrendo desde o golpe de 2016, e mais fortemente nos últimos dez meses de governo de Jair Bolsonaro (PSL), que só apresenta propostas de retirada de direitos sociais e trabalhistas e não tem projeto de desenvolvimento econômico, com justiça e inclusão social, e geração de emprego e renda”, disse.

LEIA TAMBÉM:

Congresso da CUT: Sindicatos do mundo pregam união para vencer desafios do futuro do trabalho

Lula à CUT: “É preciso intensificar a luta contra o projeto destrutivo do governo”

O presidente eleito da CUT lembrou ainda da luta que a central vem travando nos últimos anos, desde as jornadas de 2013, a dura eleição da ex-presidenta Dilma Rousseff, em 2014, o golpe que veio na sequência e a prisão injusta do ex-presidente Lula, além do papel que desenvolveu para garantir direitos, defender a democracia e pela liberdade de Lula, a quem ele foi visitar na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde é mantido preso político desde abril do ano passado. Sérgio contou que Lula pediu para a CUT chegar mais perto da base, do povo, da população em geral.

“Lula é nosso companheiro que pode nos liderar para derrotar Bolsonaro e recuperar a democracia.Um forte abraço a todos e todas e viva a Central Única dos Trabalhadores e das trabalhadoras”, finalizou o novo presidente da CUT.

*Com informações da assessoria de imprensa da CUT

Publicação de: Blog do Esmael