Ainda que com críticas aos protestos de anteontem (15) contra o bloqueio de verbas na educação promovido pelo governo Jair Bolsonaro (PSL), o MBL (Movimento Brasil Livre) reconheceu o tamanho das manifestações. Para seu representante mais conhecido, o deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP), a declaração do escritor Olavo de Carvalho, guru da família Bolsonaro, de que se afastará da política brasileira pode ter sido uma consequência positiva dos protestos. Grupo de direita que impulsionou os protestos pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), o MBL fez comentários sobre as manifestações durante toda a semana, na maioria das vezes com críticas a participantes.

Mas na própria quarta, o grupo afirmou no Twitter que a esquerda havia conseguido fazer “a maior manifestação em anos.

Em texto publicado no site do grupo, Renan Santos, um de seus principais líderes, afirmou que havia subestimado o tamanho da indignação e errado sobre as manifestações. Escreveu que a manifestação foi substancial e com “gente de verdade, que eventualmente saiu conosco às ruas contra Dilma e está puta com a forma como parte importante de sua vida foi tratada pelo governo”. Kim Kataguiri compartilhou o texto do colega, mas em conversa com o UOL procurou negar que o tamanho dos atos havia provocado surpresa. “Foi dentro da expectativa”, afirmou. Em seguida, disse, porém, que não esperava manifestações com tanta capilaridade, espalhadas por todas as unidades federativas.

O post MBL reconhece a força do movimento histórico das ruas contra cortes na educação e demonstra derrota apareceu primeiro em Blog da Cidadania.

Publicação de: Blog da Cidadania