Ministro da Educação Abraham Weintraub. Foto: Bragança de Vasconcellos/AB.

Weintraub vai ao fogo hoje no contexto de manifestações em todo o país, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) viajando nos Estados Unidos e xingando estudantes e professores de “idiotas úteis” e “massa de manobra”.

Some-se a esse quadro político desfavorável, o ministro da Educação também encontrará resistência entre parlamentares da própria base bolsonarista. Vide o caso do vice-líder do governo, deputado Capitão Wagner (PROS-CE), que passou por mentiroso ao anunciar que os cortes na educação tinham sido cancelados pelo presidente da República.

Os líderes partidários definiram as regras da oitiva com Weintraub: todos os líderes partidários e até 25 deputados inscritos poderão questionar o ministro, cada deputado terá 3 minutos para falar, líderes poderão falar por até 5 minutos e não haverá réplicas ou tréplicas

Publicação de: Blog do Esmael