Pimenta: documentos comprovam que fundo da Lava Jato com EUA é crime

Líder do PT na Câmara dos Deputados apresentou provas da ilegalidade na criação de fundo de R$ 2,5 bilhões pelos procuradores do MPF, entre eles Deltan Dallagnol

PT Nacional 

O líder do Partido dos Trabalhadores na Câmara dos Deputados, Paulo Pimenta, apresentou, na tarde desta quinta-feira (14), documentos que comprovam a ilegalidade da Força-Tarefa da Lava Jato, os Estados Unidos e a Petrobras na criação de uma fundação privada para gerir US$ 2,5 bilhões,oriundos de uma multa.

Segundo o parlamentear, o fundo “é um procedimento totalmente ilegal” e os procuradores envolvidos “cometeram crimes contra o interesse nacional”.

Ainda de acordo com o Líder do PT, a criação do fundo foi combinada de forma secreta.

“Foi combinado pelo Ministério Público, com uma parte da Petrobras que fez o acordo e com a juíza para fazerem isso escondido, porque sabiam que era criminoso o que estavam fazendo”, aponta.

Pimenta lembrou ainda que a criação do fundo fere a Constituição Federal. “Essa República de Curitiba acha que está acima da lei, acha que não precisa cumprir a Constituição e resolveram abocanhar R$ 2,5 bilhões de maneira criminosa e nós vamos levar às últimas consequências essa responsabilização do Dallagnol e de todos os procuradores envolvidos”, aponta.

Dallagnol pediu depósito

O deputado pede ainda rigor na apuração do caso. “Nós temos que investigar a fundo essa relação com os Estados Unidos, nós temos que entrar nos detalhes para saber quem fez essa tratativa com os americanos. Há uma séria suspeita de que eles possam ter agido contra o interesse nacional.”

A denúncia de Pimenta revela ainda que Dalton Dallagnol, procurador do MPF na Lava Jato, foi responsável direto por uma das ilegalidades. Ele pediu à Petrobras que fizesse o depósito bilionário em uma conta gráfica. A medida faria com que o dinheiro fosse transferido para o fundo privado sem passar pelo conhecimento de seus superiores.

Ele apresenta os documentos que comprovam a ilegalidade da ação. “E as provas que nós ainda não tínhamos dessa colaboração ilegal da Petrobras com a Lava Jato e os Estados Unidos estão aqui nestes documentos.”

Logo abaixo, Pimenta apresenta a cronologia dos fatos apresentados neste caso de ilegalidade dos procuradores da Lava Jato. Depois, o ofício que demonstra a negociação entre a Caixa Econômica Federal e o procurador Deltan Dallagnol

Cronologia das negociações ilegais entre Lava Jato, EUA e Petrobras by Conceição Lemes on Scribd

Caixa e Dallagnol negociam os juros sobre os R$ 2,5 bi by Conceição Lemes on Scribd

Publicação de: Viomundo