O PSOL foi rápido ao responder o presidente Jair Bolsonaro (PSL), que apontou hoje (10) o dedo para o partido de Jean Wyllys como suspeito pelo atentado a faca em Juiz de Fora. “Eu quero a CPI das Milícias!”, diz o site lançado para agremiação.

“É preciso investigar os milicianos amigos de Flávio Bolsonaro”, respondeu o PSOL, lembrando que há conexão dos criminosos com o gabinete do filho do presidente da República.

LEIA TAMBÉM

Bolsonaro pede que PF esclareça atentado de ‘ex-integrante do PSOL’; assista ao vídeo

O pedido de CPI mira milicianos alvos de 3 operações dos últimos 6 meses, entre eles o ex-capitão do Bope Adriano Magalhães da Nóbrega e suspeitos do assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes.

A resposta do PSOL foi uma espécie de troco pela acusação feita por Jair Bolsonaro, por meio de vídeo publicado nas redes sociais, sugerindo que a agremiação de Guilherme Boulos estaria por trás da ação criminosa do homicida Adélio Bispo.

Publicação de: Blog do Esmael