O líder do PT na Câmara, deputado Paulo Pimenta (RS), usou o Twitter neste domingo (10) para criticar o governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) por espionar a Igreja Católica através da Agência Brasileira de Inteligência (ABIN).

LEIA TAMBÉM:

General Heleno nega que vai transformar a Abin em um ‘novo’ SNI de Bolsonaro

Na rede social, o líder do PT qualificou a arapongagem como “ação típica de ditadura, com verniz fundamentalista teocrático.” Ele lembrou que “a única vez que católicos foram ameaçados no Brasil foi entre 1964 e 1985”, no período da ditadura militar. 

Em reportagem divulgada pelo jornal Estadão neste domingo (10), o general Augusto Heleno, chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), admitiu que o governo tem espionado a Igreja Católica porque a instituição vem discutido temas que são considerados “agenda de esquerda”, tais como a situação de povos indígenas e quilombolas e as mudanças climáticas.  

“Estamos preocupados e queremos neutralizar isso aí”, disse o general Heleno ao jornal. 

Com informações da Agência PT

Publicação de: Blog do Esmael