JULGAMENTO DE LULA: Porto Alegre está fervendo!

Cheguei a Porto Alegre e fui direto ao “centro nervoso” do movimento engajado na denunciação ao mundo da segunda fase do golpe, que consiste em impedir que o ex-presidente Lula vença a eleição presidencial de 2018 através de uma farsa jurídica para condená-lo criminalmente por “corrupção” sem apresentarem uma única prova. No sede de comando do movimento entrevistei o senador Lindbergh Farias e o blogueiro Miguel do Rosário, que avaliaram a conjuntura.

Assista, abaixo, a entrevista. Em seguida uma mensagem do Blog ao leitor

 

UM MINUTO DA SUA ATENÇÃO

Apoie o Blog da Cidadania. O site tem custos – equipe técnica, hospedagem, cobertura (telefonemas, deslocamentos). Assinar um dos primeiros blogs políticos do país, que já existe há 13 anos, é forma de militância política. Há várias formas de assinar. Confira, abaixo. E obrigado pelo apoio. 

PARA ASSINAR VIA CARTÃO DE CRÉDITO MENSALMENTE, CLIQUE NO LINK https://www.mercadopago.com/mlb/debits/new?preapproval_plan_id=282c035437934f48bb0e0e40940950bfAQUI 

PARA ASSINAR VIA CARTÃO DE CRÉDITO UMA SÓ VEZ, CLIQUE NO LINK https://www.vakinha.com.br/vaquinha/financie-o-jornalismo-do-blog-da-cidadania

PARA FAZER DEPÓSITO EM CONTA, ENVIE E-MAIL PARA edu.guim@uol.com.br

PS: este vídeo deveria ter sido publicado na hora costumeira em que o Blog da Cidadania publica seus vídeos – entre 18:30 hs. e 19:00 hs, mas, devido ao fato de que a internet está ruim no hotel em que o editor do Blog da Cidadania se hospedou, um vídeo que deveria subir em 10 minutos demorou quase três horas. Esse problema da internet se deve ao fato de que toda rede hoteleira de Porto Alegre está lotada devido ao julgamento do ex-presidente Lula. Quem lotou foram jornalistas e militantes que estão usando a internet todos ao mesmo tempo.

O post JULGAMENTO DE LULA: Porto Alegre está fervendo! apareceu primeiro em Blog da Cidadania.

Publicação de: Blog da Cidadania

Elección de 2018 no puede ser “tramposa” dice Dilma Rousseff


Juicio de Lula

Líderes políticos de diversas naciones se reunieron este lunes en Porto Alegre para debatir la crisis de las democracias

José Eduardo Bernardes |
Además de representantes de partidos políticos, el evento tuvo la presencia de la ex presidenta Dilma Rousseff Frente Brasil Popular

Líderes políticos de distintos países se reunieron este lunes en Porto Alegre para debatir la crisis de las democracias. Además de líderes políticos de varias partes del mundo, el evento contó con la presencia de la presidenta Dilma Rousseff.

Dirigentes partidarios e integrantes de movimientos populares de diversos países de América Latina y de Europa se encontraron en la tarde de este lunes (22), en Porto Alegre, para un debate sobre la democracia en el mundo.

Asistieron al acto más de 400 personas. Además de líderes políticos de varias naciones, el evento contó con la presencia de la presidenta Dilma Rousseff.

Saludada calurosamente por los participantes al entrar en el auditorio, Dilma hizo cuestión de recordar, en casi una hora de discurso a los presentes, los lazos que unen a los trabajadores de todo el continente latinoamericano: “Quería decirle a los partidos hermanos de América Latina que tenemos en común una lucha, y nos venimos desarrollando juntos en ella. Desde el inicio de la resistencia que tuvimos en el continente, pasando por las políticas neoliberales más rígidas, que tuvieron su máxima expresión en el ALCA (Área de Libre Comercio de las Américas) que derrotamos en conjunto”. 

Sobre el proceso contra Lula, que intenta impedir su candidatura a las elecciones presidenciales de 2018, Dilma dijo que la acción del juez de primera instancia Sergio Moro –que determinó la condena del ex presidente- no tiene consistencia y no debería seguir adelante. 

 “Es un proceso muy complicado, que se inició con una entrevista colectiva y un PowerPoint. No se tienen noticias de algo parecido, ni noticias de que un juez pueda hablar por fuera de los autos. Brasil tiene que reencontrarse  consigo mismo y para eso tiene una pre-condición: en la elección de 2018 no puede haber ningún intento de ganar con trampa”, dijo la presidenta. 

La diputada federal María do Rosário (PT-RS) afirma que la presencia de representantes políticos de varias partes del mundo en el seminario es una señal de la importancia de Lula para la democracia mundial. “Lula se ha transformado en una referencia para la democracia, tanto en Brasil como en el resto del mundo. Si Lula es impedido de participar en las elecciones significa que la ya debilitada democracia brasileña se termina de romper. Ni eso ellos aceptan. Porque las élites brasileñas nunca tuvieron apego a la democracia”, señaló.

En entrevista exclusiva al Brasil de Fato, Sandra Lazo, vicepresidenta de la organización de movimientos populares y partidos políticos del Uruguay, el Frente Amplio, comentó sobre la solidaridad de América Latina con Lula y dijo estar preocupada con las amenazas a la democracia que el continente viene sufriendo. 

“América Latina sabe, y mucho, que fue largo y doloroso el proceso para recuperar la democracia. Y me refiero a lo que acontecía en América Latina hace 40 años, cuando no por casualidad estábamos bajo las dictaduras del Plan Cóndor. Podemos decir que esta es otra etapa, pero que no se diferencia en los intereses de quienes la impulsan. Llámese golpe blando o judicialización de la política”, afirmó Lazo. 

Las actividades organizadas por el Comité Defesa de la Democracia y del Derecho de Lula ser Candidato se extienden hasta el próximo día 24 de enero, cuando ocurrirá el juzgamiento del ex presidente en el Tribunal Regional Federal de la 4ª Región.

2018 Elections cannot be “played”, says Dilma Rousseff


Lula's trial

Political Leaderships from several nations gathered this Monday in Porto Alegre to debate the democracies' crisis

José Eduardo Bernardes |
Besides political leaderships from many parts of the globe, the event had the presence of president Dilma Rousseff Frente Brasil Popular

Party leaders and members of popular movements from many Latin American countries and Europe gathered in the afternoon of this Monday in Porto Alegre for a debate on democracy worldwide.  

The act summed up more than 400 people. Besides political leaderships from many countries, the event also had the presence of former president Dilma Rousseff. Warmly welcomed by the participants as she walked into the auditorium, Dilma made a point of reminding, in almost one hour of talk, the bonds that unite the workers from all over the Latin-American continent:

“I would like to say to the Latin American partner parties that we have a fight in common, we have developed this fight collectively. Since the beginning of the resistance that we had here in Latin America, going through more strict neoliberal policies that had its major expression in the FTAA [Free Trade Area of the Americas], that we fought together,” stated the former president.   

On the lawsuit against Lula, which tries to prevent him from running the next general elections, Dilma pointed out that the first instance judge, Sergio Moro’s action, which determined the conviction of the former president, had no consistency and should not be maintained: “It is a very complex process. It starter with a press conference and a powerpoint presentation. There has been no precedent and one has never heard that a judge can speak outside the process. Brazil has to face itself and for that there is one precondition: the 2018 election cannot be played. It cannot go through any attempt of cheating,” she stated. 

The federal congresswoman Maria do Rosario, from the Workers’ Party (PT) in Rio Grande do Sul, said that the presence of political representatives from many parts of the globe in a seminar is a sign of the importance of Lula for the world democracies: 

Today Lula has turned into a reference for democracy, be it in Brazil or worldwide. If Lula is stopped from participating in the elections it will mean that, even the limited representative democracy established in Brazil has been disrupted. Not even this one is accepted by them. The Brazilian elite has never had any attachment to democracy.     

In an exclusive interview for Radioagencia Brasil de Fato, Sandra Lazo, who is vice-president of the Uruguayan organization of popular movements and political parties, Frente Ampla, commented on the solidarity that Latin America shares with Lula and said she is concerned about the threats to the democracy that the continent has suffered.  

“Latin America knows, very well, what  the long and painful process to recover democracy was. I am speaking of what happened in Latin America 40 years ago, when, not for any casualty, under the Condor Plan, there were different dictatorships. We can say that this is another step, but that is not different from the interests of those in charge of it, call it a soft coup or the judicialization of politics,” she said.  

The activities organized by the Committee in Defense of Democracy and the Rights of Lula to be Candidate will be extended until January, 24th, when the former presidents’ trial take place at the Federal Regional Court of the 4th Region (TRF4) in Porto Alegre.

Ciro Gomes se posiciona para herdar os votos de Lula

por Ciro Gomes, no Facebook

Dia 24 de janeiro é o dia do julgamento da apelação de Lula contra a sentença que o condenou em primeira instância.

Torço para que seu recurso seja reconhecido pelo tribunal regional, órgão de segunda instância da Justiça Federal, e ele seja declarado inocente.

O Judiciário brasileiro, assim como os outros poderes de nossa frágil República, tem graves defeitos – nunca me abstive de criticá-los – mas imaginá-lo parte orgânica de uma conspiração política ofende a inteligencia média do país e, pior, a consequência inevitável desta constatação teria desdobramentos tão graves que a um democrata e republicano só restaria a insurgência revolucionária. Não creio, definitivamente nisto.

É definitivamente constrangedor e inexplicável que nenhum quadro relevante do PSDB esteja preso apesar de fartas e robustas evidências de seu orgânico e ancestral envolvimento em corrupção. Mas não é irrelevante que estejam presos quadros centrais do PMDB como Eduardo Cunha, Geddel Vieira Lima ou Henrique Alves. E que o próprio presidente Michel Temer tenha sido chamado pela Justiça a responder por seus atos de corrupção, embora impedida, a mesma justiça, de prosseguir na apuração, pelo poder politico subornado.

O que quero dizer nesta hora crítica é que, apesar de seus graves problemas, a Justiça brasileira ainda deve merecer o respeito institucional da nação. O oposto é a baderna, a anarquia e, evidentemente, a violência.

Que o Tribunal Regional de Porto Alegre compreenda a transcendência de sua decisão! Que, independentemente de pressões legítimas ou espúrias, afirme a JUSTIÇA! Que tenha a força moral de afirmar a inocência de Lula no processo em questão, se como eu, não vislumbrar clara sua culpa.

Que dê evidências incontestáveis de sua culpa, caso assim entenda, de maneira que a qualquer do povo não reste duvidas e, assim, possa a Nação afirmar como o injustiçado alemão: há juízes em Berlim. E, apesar de tudo, também no nosso sofrido Brasil.

O post Ciro Gomes se posiciona para herdar os votos de Lula apareceu primeiro em Viomundo – O que você não vê na mídia.

Publicação de: Viomundo

Lula vai a Porto Alegre participar de manifestação; leia a íntegra da apelação da defesa ao TRF-4

Da Redação

Um Lula descontraído e sorridente, durante um evento público?

Ou um Lula desesperado pela iminência da condenação em segunda instância e possível prisão?

A manipulação da imagem, feita pelo Estadão e denunciada nas redes sociais, resume o comportamento da mídia: no “tribunal” dos barões da mídia, o ex-presidente já foi julgado e condenado sem apelação. Literalmente.

A sentença do juiz Sergio Moro, que condenou Lula a mais de 9 anos de prisão, cita nominalmente uma reportagem de O Globo que atribuía o triplex do Guarujá ao ex-presidente bem antes da Lava Jato, reportagem que a defesa diz ser mentirosa.

Este é um dos motivos pelos quais o Levante Popular da Juventude, ligado ao MST, promoveu um escracho da Globo no Rio de Janeiro: a emissora escreveu o roteiro do golpe que apeou Dilma Rousseff do poder e agora exige que a Justiça afaste Lula das eleições de 2018.

Organizadores estimam em cerca de 200 o número de caravanas que estão a caminho de Porto Alegre. Isso e mais os militantes locais da capital gaúcha devem garantir a Lula um público de ao menos 10 mil pessoas na terça-feira que antecede o julgamento.

Assessores confirmaram que o ex-presidente viajará para participar do ato na véspera do julgamento.

A mídia, como sempre, destaca o aparato policial montado contra a “horda vermelha” e tenta produzir uma equivalência entre os que defendem o direito de Lula se candidatar e os que querem vê-lo preso. É o incansável trabalho dos cães de guarda para moldar a realidade ao gosto do baronato midiático.

Leia, abaixo, um resumo do que os advogados de defesa dirão diante dos três desembargadores do TRF-4 encarregados de definir o destino jurídico de Lula.

O post Lula vai a Porto Alegre participar de manifestação; leia a íntegra da apelação da defesa ao TRF-4 apareceu primeiro em Viomundo – O que você não vê na mídia.

Publicação de: Viomundo

Eles mentem sobre preferirem Lula derrotado nas urnas

Esses pistoleiros vagabundos dessa mídia oportunista, mentirosa e saqueadora que construiu seu império às custas do sangue dos brasileiros doado pela ditadura militar, perfilaram-se, um a um, para vomitarem a mentira infame de que preferem que Lula dispute a eleição deste ano e seja derrotado. Preferem nada. Morrem de medo de enfrentá-lo.

Vagabundos, vermes, seres rastejantes! Querem coisa nenhuma. Não foi para verem Lula disputando eleição que escreveram todos os dias que ele é criminoso sem terem uma só prova, baseados, tão-somente, em versões que constroem em promiscuidade com seus comparsas incrustados no aparato repressivo do Estado, os quais usam esse aparato politicamente quando a mídia não dá conta de destruir a imagem dos adversários dessa burguesia cruel, racista, inculta, preconceituosa e covarde que infecta a América Latina.

Viram quantos desses sujeitinhos à toa já disseram essa mentira asquerosa?

O pior é que são peões a serviço dos verdadeiros poderosos que se beneficiaram com um golpe claro, escancarado contra Dilma Rousseff, baseado em uma operação contábil do governo de adiantamento de recebíveis junto ao sistema bancário para não atrasar programas sociais.

Enquanto que nem vídeos, gravações e documentos com atos de ofício são suficientes para abrir processo de impeachment contra o gangster Michel Temer, uma operação contábil que nem foi ordenada diretamente pela presidente deposta foi mais do que suficiente para jogar 54 milhões de votos no lixo.

Enquanto que provas registradas em áudio e vídeo contra Aécio Neves não lhe causaram o menor dissabor, enquanto que o ex-presidente do PSDB Eduardo Azeredo segue impune há 12 anos em um processo recheado de provas contra si, enquanto as acusações contra José Serra e Geraldo Alckmin não são apuradas após tanto tempo, Lula é julgado e condenado em seis meses em duas instâncias somente com base na acusação sem provas de alguém que ficaria 32 anos na cadeia se não o acusasse.

O julgamento da próxima quarta-feira é uma farsa asquerosa e covarde com o fim único de IMPEDIR Lula de disputar a eleição deste ano. Essa farsa só foi possível graças aos pistoleiros sem pátria, oportunistas empedernidos que ajudaram a construir tais mentiras ao longo dos anos para que um dia, se não contassem mais com a ingenuidade do povo, pudessem contar com o arbítrio da “justiça”.

Eles serão derrotados. Eles sempre foram derrotados. A história da humanidade é uma ode à derrota do mal para o bem, da mentira para a verdade, da injustiça para a justiça. Os ímpios enganam muitos por algum tempo, mas nunca conseguiram enganar a muitos por muito tempo. E não será agora que conseguirão.

Eu e uma modesta equipe iremos hoje a Porto Alegre cobrir e relatar para o público do Blog da Cidadania esse momento histórico que orientará este país por gerações sobre como evitar que um sistema de Justiça seja usado para guerra política em um processo no qual a maior vítima sempre será a democracia.

UM MINUTO DA SUA ATENÇÃO

Apoie o Blog da Cidadania. O site tem custos – equipe técnica, hospedagem, cobertura (telefonemas, deslocamentos). Assinar um dos primeiros blogs políticos do país, que já existe há 13 anos, é forma de militância política. Há várias formas de assinar. Confira, abaixo. E obrigado pelo apoio. 

PARA ASSINAR VIA CARTÃO DE CRÉDITO MENSALMENTE, CLIQUE NO LINK https://www.mercadopago.com/mlb/debits/new?preapproval_plan_id=282c035437934f48bb0e0e40940950bfAQUI 

PARA ASSINAR VIA CARTÃO DE CRÉDITO UMA SÓ VEZ, CLIQUE NO LINK https://www.vakinha.com.br/vaquinha/financie-o-jornalismo-do-blog-da-cidadania

PARA FAZER DEPÓSITO EM CONTA, ENVIE E-

O post Eles mentem sobre preferirem Lula derrotado nas urnas apareceu primeiro em Blog da Cidadania.

Publicação de: Blog da Cidadania

Militantes fazem o escracho da Globo no Jardim Botânico

Rede Globo é ocupada por movimentos populares em defesa de Lula no Rio de Janeiro

Em todo o Brasil atos estão sendo programados para o dia 24, dia que ocorrerá o julgamento de Lula no TRF4 em POA

Brasil de Fato | São Paulo (SP), 22 de Janeiro de 2018 às 10:51

A sede da Rede Globo no Rio de Janeiro foi ocupada no final da manhã desta segunda-feira (22). Cerca de 150 pessoas estão acampadas no prédio da emissora na região do Jardim Botânico. A ação é organizada por movimentos populares e tem por objetivo denunciar o empenho da emissora na condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da democracia.

Para Paulo Henrique, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), a Globo é uma das principais impulsionadoras da perseguição à Lula. “Estamos realizando esse ato para denunciar a manipulação da Rede Globo na política brasileira. Ela tem um papel decisivo de decidir pelo povo. Ela sempre cumpriu um papel nos golpes, como em 1964, nas eleições de 1989, quando Lula perdeu as eleições presidenciais para Fernando Collor, e agora mais recente no golpe em cima da ex-presidente Dilma Rousseff. E agora ela revela mais uma manipulação na tentativa de incriminar Lula”

Os organizadores lembram de uma pesquisa realizada na Universidade Federal do Rio de Janeiro, que constatou que entre dezembro de 2015 e agosto de 2016 o Jornal Nacional dedicou quase 13 horas de noticias negativas sobre Lula e nenhuma hora de noticias favoráveis.

“O judiciário do Moro não conseguiria sozinho condenar o Lula. Já tentaram várias manobras, mas o que sustenta a República de Curitiba e as inconstitucionalidades do processo é a Globo, que tem se empenhado para atacar Lula para que ele não concorra às eleições em 2018”, afirma Luma Vitório, do Levante Popular da Juventude.

Na ocupação cartazes nomeiam a Rede Globo de “Tribunal Federal da Injustiça” e denunciam as investigações que a corporação carrega, entre elas o esquema de pagamento de propina para transmissão de jogos de futebol e sonegação fiscal.

Em todo o Brasil atos estão sendo programados ao longo dessa semana até o dia do julgamento de Lula no Tribunal Regional Federal da 4ª Região de Porto Alegre (TRF4). Movimentos populares iniciaram hoje um acampamento em Porto Alegre que terá programação até o dia do julgamento.

Edição: Luiz Felipe Albuquerque

Leia também:

Marco Aurélio Mello: Está chegando a hora

O post Militantes fazem o escracho da Globo no Jardim Botânico apareceu primeiro em Viomundo – O que você não vê na mídia.

Publicação de: Viomundo

Flávio Koutzii: Projeto da direita brasileira, via Lava Jato, é apagar os anos Lula da História


A Lava Jato e o projeto da direita brasileira: “apagar da história os anos Lula”

por Katarina Peixoto, de Porto Alegre, especial para o Viomundo

No dia 23 de setembro de 2016, o Tribunal Regional Federal da 4a. Região (TRF4) concedeu à Operação Lava Jato o salvo conduto para o abuso da lei, que passou a suportar, na opinião dos desembargadores, a exceção.

O tribunal arquivou a representação de advogados, contra o juiz de primeira instância Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato, que cometeu, seguidamente, violações à lei: autorizou o grampo telefônico em escritório de advocacia e divulgou interceptação telefônica na qual participou, sem saber, a Presidenta da República.

Por 13 votos a 1, a corte recursiva da Quarta Região tornou “incensurável” as evidentes violações, com base em uma interpretação de que a Operação Lava Jato era em si mesma excepcional, logo, requereria medidas igualmente excepcionais.

Para embasar essa decisão, o tribunal, que no dia 24 de janeiro julgará se Lula será ou não banido do jogo eleitoral no Brasil, cometeu outras violações.

Desta feita, de natureza semântica: de maneira inexplicável, usou o nome do filósofo italiano Giorgio Agamben a fim de fundamentar a ideia de exceção de que estavam se servindo, para absolver o seu par, Moro, e seguir autorizando a Lava Jato a violar a legalidade

Em que pese a decisão ter causado espécie no ambiente jurídico letrado, mesmo nos setores menos mobilizados politicamente, ainda há dúvidas e suspeitas que merecem atenção.

Por exemplo: dada a exceção acolhida como salvo conduto para o juiz de primeira instância violar os direitos fundamentais da Presidência da República e para grampear advogados de defesa, pode-se esperar que a Operação Lava Jato entre para os autos jurisprudenciais?

Dada a peculiar relação que essa operação mantém, com o respaldo do TRF4, com a lei, que tipo de memória e registro jurisprudencial se deve aguardar?

Podemos dar como evidente que a Operação Lava Jato, pela sua ilegalidade, encerra as arbitrariedades antilegais no seu término, ou devemos aguardar mais arbítrio?

Nos próximos dias, meses e anos, essas questões terão respostas assentadas.

Esta mesma corte julgará, dia 24 de janeiro, o recurso impetrado pela defesa do ex-presidente Lula, no processo do Triplex no Guarujá, um processo cuja flacidez doutrinária e processual o impede, senão de ocupar a história da jurisprudência, certamente de frequentar cursos de processo penal, em qualquer faculdade de direito registrada pelo MEC até 2016.

Medidas de exceção e regimes de exceção, a história mostra a quem tem olhos de ver, infelizmente não têm efeitos limitados e determinados.

O contrário ocorre: “uma vez saída das mãos que atiram, as pedras vão para as mãos do diabo”, diz uma boutade alemã, a respeito do risco de se escolher a delinquência, em vez da legalidade.

Estamos nos últimos dias que antecedem ao julgamento de Lula, Porto Alegre está recebendo militantes de todo o país e há policiamento sem precedentes, nas proximidades do TRF4, do Palácio Piratini e no entorno de outros órgãos oficiais.

Embora o clima de tensão tenha arrefecido, dadas as negociações que permitiram determinar um local específico para os movimentos acamparem, o TRF4 está excepcionalmente isolado, por soldados, policiais e viaturas.

Não haverá expediente para quem não estiver envolvido no julgamento e o presidente do TRF4 convidou a Rede Globo para filmá-lo, enquanto pedia ajuda à Presidenta do STF, Carmem Lúcia, porque ele e outros juízes estariam recebendo ameaças.

A exceção, por definição, não pode virar regra.

O que é mesmo que está em jogo, agora?

“Existe uma coisa que a direita brasileira precisa destruir, apagar da história do país, que se chama os anos Lula. Com o banimento do Lula, do jogo eleitoral e democrático, eles têm a maior oportunidade da sua vida de fazerem isso. Não faz muito sentido imaginar que não tentarão aproveitá-la”.

O diagnóstico é de Flávio Koutzii, que foi chefe da Casa Civil do governo Olívio Dutra e deputado estadual pelo PT do Rio Grande do Sul.

Koutzii é um dos maiores nomes da esquerda brasileira.

Participou da resistência armada às ditaduras no Brasil e na Argentina, foi preso em Buenos Aires, torturado e, após sua libertação, exilado.

Nunca se alinhou a correntes majoritárias de pensamento, nem de organizações políticas.

Hoje, retirado da vida parlamentar e ocupado com as atividades de lançamento e debates que se seguiram ao lançamento de sua biografia política, “Flavio Koutzii: biografia de um militante revolucionário”, feita com e pelo professor Benito Schmidt do departamento de história da UFRGS, Flávio preserva a proverbial agudeza de análise sobre o estado das coisas no mundo político.

O cenário é preocupante e, segundo Flávio, muitíssimo mais grave do que o processo de fechamento anterior, de que ele tomou parte, diretamente.

“Sob vários aspectos, o que vocês estão vivendo é muitíssimo pior e mais grave do que aquilo que passamos. Para nós, o cenário era preto e banco, tudo estava muito claro. Vocês não tem esse privilégio e têm de enfrentar os mecanismos, cada vez mais sofisticados de dominação e interdições. É claro que haverá muitas perdas”.

Que perdas são essas?

Em primeiro lugar, aquelas que já estão acontecendo, de direitos, oportunidades, horizonte, futuro.

Em segundo lugar, e de maneira mais concreta, perdas derivadas das escolhas que terão de ser feitas, daqui para a frente.

Há uma chance muito grande de a condenação de Lula inaugurar uma etapa mais agressiva da guerra política em curso no país.

O caráter histórico está marcado não pela eleição que virá, somente, mas pelo destino que os anos Lula terão, na vida política e na memória do país.

É isso o que está em jogo, afirma Flávio.

As forças que estão à frente desse movimento, mesmo que fragmentadas e eventualmente em conflito entre si, aqui e acolá, sabem que é isso o que precisam evitar, a qualquer custo.

“Eles contam com uma brutal máquina de propaganda e ignoram ou parecem ignorar a memória, que a estas alturas parece um dado irredutível, que está no cidadão e na cidadã do país: as coisas eram melhores, com o PT no governo. Isso é uma coisa que a direita não está conseguindo tirar da realidade ou não parece se preocupar em alterar. Porque as pessoas que não tinham nada passaram a ter, e agora estão perdendo, já perderam, e estão voltando a uma condição que só foi alterada durante os anos Lula e Dilma”, avalia.

Flávio interrompe sua fala e assume outro tom, como que para deixar marcada a sua posição.

Depois de anos criticando, à esquerda, movimentos, agendas e algumas decisões tomadas por Lula e pelo governo Dilma, o militante revolucionário dos anos 60, deputado, dirigente partidário e analista político levanta de leve a voz para dizer, “aliás, o Lula é um sujeito extraordinário. Acho que tenho de fazer, vários de nós temos de fazer, uma certa autocrítica, aqui. O que esse sujeito está enfrentando é uma coisa absolutamente inominável. E ele é brilhante, um cara de imenso valor, com muita sensibilidade e respeito pelo povo”.

Esse processo todo mudou muitas coisas e a percepção das relações de força, do tamanho do que importa e do que parecia maior ou menor do que se mostrou, essas coisas transparecem no tom e na expressão de Flávio.

Pergunto sobre os riscos do cenário sem o Lula, com o Lula banido do jogo.

Flávio afirma que a Operação Lava Jato, os juízes à frente do julgamento agora, do dia 24, e a mídia que os propagandeia, estão agindo como “incendiários”.

E, ao ar de indignação, segue-se um tom ponderado e grave: “precisamos pensar em ações com relações menos imediatas ou não muito próximas de reações, para evitar perdas, que já sabemos, já as estamos vivendo”.

Esta frase poderia querer dizer simplesmente que devemos buscar agir pensando no médio prazo, mas ela quer dizer mais do que isso.

Não estamos na guerra fria, eu disse, mas o avanço da direita e do fascismo é, de novo, um elemento global e mundialmente organizado.

“Sim”, concordou Flávio. “Tem isso, que torna tudo mais dramático, no momento. Parece que estamos nos alinhando com as trevas que estão avançando no mundo, não tem saída fácil para isso”.

Leia também:

Marco Aurélio Mello: Tá chegando a hora

O post Flávio Koutzii: Projeto da direita brasileira, via Lava Jato, é apagar os anos Lula da História apareceu primeiro em Viomundo – O que você não vê na mídia.

Publicação de: Viomundo

2017: riqueza de bilionários aumentou 6 vezes mais rápido do que a de trabalhadores


CAPITALISMO

82% da riqueza mundial ficou nas mãos do 1% mais rico; dados estão no relatório da Oxfam

Redação |
"O aumento sem precedentes de bilionários não é um sinal de uma economia próspera" Reprodução / Pragmatismo Político

A riqueza dos bilionários aumentou 13% ao ano, em média, de 2010 a 2017 – seis vezes mais rapidamente do que os salários pagos a trabalhadores, que tiveram aumento de apenas 2% por ano, na média, no mesmo período. Os dados fazem parte do relatório “Recompensem o trabalho, não a riqueza”, divulgado pela organização não-governamental (ONG) Oxfam, nesta segunda-feira (22).

O documento também revela que, ano passado, 82% de toda a riqueza gerada ficou nas mãos de 1% dos mais rico do mundo. Além disso, um aumento recorde de bilionários foi registrado – um a cada dois dias -, chegando ao patamar de 2.043 bilionários no mundo.

“O aumento sem precedentes de bilionários não é um sinal de uma economia próspera, mas um sintoma de um sistema econômico falido. As pessoas que fazem nossas roupas, montam nossos telefones e cultivam nossos alimentos estão sendo exploradas para garantir um estoque constante de bens baratos e aumentar os lucros de empresas e investidores bilionários”, afirma Katia Maia, diretora executiva da Oxfam Brasil.

Concentração

Particularmente, no Brasil, de março de 2016 à março de 2017, o país passou de 31 para 43 bilionários. O patrimônio somado dos bilionários brasileiros chegou a R$ 549 bilhões em 2017, num crescimento de 13% em relação ao ano anterior.

Ao mesmo tempo, os 50% mais pobres do país viram sua fatia da renda nacional ser reduzida ainda mais, de 2,7% para 2%. O Brasil tem hoje cinco bilionários com patrimônio equivalente ao da metade mais pobre da população brasileira.

Os novos dados sobre a concentração de renda no país estão relacionados às novas regras que regem a legislação trabalhista. “Entre os fatores que contribuem para esse quadro está a redução de custos trabalhistas, como salários e direitos, para maximizar retornos aos acionistas”, disse Katia.

O levantamento da Oxfam antecede o encontro de empresários e políticos em Davos (Suíça), para mais uma edição do Fórum Econômico Mundial.

Abusos contra Lula uniram a esquerda

 

Na antevéspera de viajar a Porto Legre para participar desse momento histórico que será 24 de janeiro de 2018, cumpre-me trazer uma boa notícia aos que têm sede de justiça: os abusos cada vez maiores contra Lula conseguiram o improvável: uniram uma das esquerdas mais divididas do mundo: a brasileira.

Para não dizerem que sou um otimista inveterado – o que sempre dizem porque sou mesmo –, cito matéria da Folha de São Paulo deste domingo 21 de janeiro. Segundo a reportagem, “Por sobrevivência, esquerda tem ‘trégua’ e constrói agenda comum”.

Diz a matéria que, “Sob bênção de Luiz Inácio Lula da Silva, partidos de esquerda buscarão uma estratégia conjunta de sobrevivência a partir da quarta-feira (24), data do julgamento do petista pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre”

A Folha relata que “Com a possibilidade de a condenação do ex-presidente se manter, PT, PC do B, PDT e até PSB promovem uma “trégua eleitoral” e anteciparam para após o Carnaval o lançamento de um programa com vistas a uma aliança no segundo turno do pleito —ou mesmo no primeiro.

O jornal diz que o PSOL tem acompanhado as discussões na condição de observador. Está certo, mas há outros sinais animadores no PSOL. Antes de falar deles, vale explicar por que a Folha diz que “até o PSB” está participando da tal “trégua” eleitoral.

O PSB é um partido que, apesar de ter a palavra “socialista” na sigla, há muito vem se aliando com a direita demo-tucano-midiático-jurídica. Porém, mesmo o partido do aliado de Alckmin Marcio França já começa a perceber que se o Brasil não ter uma guinada à esquerda, vai acabar em uma extrema-direita de Bolsonaro para baixo.

Como relata a matéria da Folha, o PSB está conversando com o PT para uma aliança que pode se consolidar até mesmo no primeiro turno da eleição presidencial.
As discussões, basicamente, giram em torno do fato de que a esquerda será dizimada se se dividir nestas eleições. Um PSOL da vida, por exemplo, iria sumir.

Por essa razão, lideranças desse partido, eternamente antipetistas e antilulistas, andaram dando declarações favoráveis a Lula. Marcelo Freixo chegou a gravar um vídeo defendendo o direito de Lula ser candidato. Já a ultra antipetista Luciana Genro deu à Folha a seguinte declaração:

“É um absurdo que Lula (PT) esteja sendo julgado enquanto o Michel Temer (MDB) é presidente, enquanto o Aécio Neves (PSDB) é senador, enquanto grande parte dos políticos ligados ao governo estão envolvido em tenebrosas transações, e só o Lula está sendo julgado. O PSOL tem uma posição pela defesa do direito do Lula ser candidato, e eu defendo essa mesma posição”

Recentemente, o PSOL divulgou nota em que defende o direito de Lula ser candidato.
Mas a proposta feita pelos petistas à esquerda é tentadora. Lula apoiaria o consenso que se formar na esquerda caso ele não possa ser candidato. Mesmo que esse candidato que a esquerda escolher não seja petista.

Seja como for, a união da esquerda pode produzir uma coalizão avassaladoramente forte. Talvez a aliança mais forte de centro-esquerda que já se produziu, pois não terá a esquerda radical sabotando como sempre ocorre nas eleições em qualquer nível.

A direita, por sua vez, está cada vez mais dividida e perdida. O outsider Jair Bolsonaro gera calafrios no empresariado, na mídia, em todo o establishment por sua ignorância e truculência. Um presidente como esse acabaria com o investimento privado nacional e estrangeiro no país. As trevas em que estamos metidos ficariam mais escuras.

Além de tudo isso, um dos três desembargadores que irão julgar Lula nos próximos dias parece estar indócil com os golpistas. Está se recusando a destruir a própria biografia e a própria respeitabilidade para atender aos interesses de grupos políticos.

Tudo parece estar se ajeitando para permitir uma vigorosa campanha progressista sob o mote de resgatar direitos dos trabalhadores, programas sociais e a respeitabilidade do Executivo, do Legislativo e do Judiciário, além do Ministério Público, infectados por picaretas que posam de heróis para atender a grupelhos políticos de extrema direita.

O próximo capítulo será em Porto Alegre.

*

Assista, abaixo, reportagem em vídeo sobre o tema e, em seguida, leia mensagem do Blog da Cidadania para você.

UM MINUTO DA SUA ATENÇÃO

Apoie o Blog da Cidadania. O site tem custos – equipe técnica, hospedagem, cobertura (telefonemas, deslocamentos). Assinar um dos primeiros blogs políticos do país, que já existe há 13 anos, é forma de militância política. Há várias formas de assinar. Confira, abaixo. E obrigado pelo apoio. 

PARA ASSINAR VIA CARTÃO DE CRÉDITO MENSALMENTE, CLIQUE NO LINK https://www.mercadopago.com/mlb/debits/new?preapproval_plan_id=282c035437934f48bb0e0e40940950bfAQUI 

PARA ASSINAR VIA CARTÃO DE CRÉDITO UMA SÓ VEZ, CLIQUE NO LINK https://www.vakinha.com.br/vaquinha/financie-o-jornalismo-do-blog-da-cidadania

PARA FAZER DEPÓSITO EM CONTA, ENVIE E-MAIL PARA edu.guim@uol.com.br

O post Abusos contra Lula uniram a esquerda apareceu primeiro em Blog da Cidadania.

Publicação de: Blog da Cidadania

© 2018 bita brasil

Theme by Anders NorénUp ↑