Movimentos populares do Haiti denunciam em ato e carta a prisão de Lula


SOLIDARIEDADE

“A prisão de Lula é uma estratégia da direita e dos interesses imperialistas”, diz a declaração

Redação |
Ato pede libertação de Lula e apoia a luta dos militantes em greve de fome Reprodução

A Escola de Formação Política Charlemagne Peralte, os movimentos sociais do capítulo ALBA-Haiti e da Via Campesina Haiti enviaram na terça-feira (14) uma declaração conjunta se solidarizando com os movimentos populares do Brasil e pedindo a liberdade de Luiz Inácio Lula da Silva. Além da declaração, também realizaram um ato em solidariedade ao ex-presidente e aos militantes em greve de fome que pedem sua liberdade.

“Para nós do Haiti, dos movimentos sociais, é muito importante nos solidarizar com a luta do povo brasileiro, sobretudo, nessa conjuntura de agressão imperialista e da classe dominante, que tenta apagar as conquistas democráticas e atacam brutalmente os trabalhadores e o povo brasileiro”, explica o professor Camille Chalmers, secretário da Plataforma Haitiana pela Defesa de um Desenvolvimento Alternativo (Phada) e integrante do Jubileu das Nações Unidas para o país.

Um dos signatários da carta, Chalmers afirma que a prisão de Lula é uma operação política e totalmente ilegal. “[Nós] queremos que Lula seja candidato à Presidência, porque a classe trabalhadora do Brasil deve voltar a dirigir o país para contestar a ofensiva imperialista e a brutal ofensiva da direita no Brasil. Todos os povos da América Latina estão juntos nesse combate”, completa.

A “Declaração sobre o encarceramento de Luiz Inácio Lula da Silva”, lançada um dia após o registro da candidatura de Lula por 50 mil militantes em Brasília, aponta que “a prisão de Lula é uma estratégia da direita retrógrada que atua de acordo com os interesses imperialistas, especialmente dos Estados Unidos”.

“Decidimos nos colocar em pé, junto a toda forma de resistência para a liberação do líder politico do povo brasileiro. Globalizemos a luta! Globalizemos a esperança!”, conclui a declaração.

Leia abaixo a íntegra da nota (em espanhol):

“Papaye, Haiti 14 de Agosto 2018
DECLARACIÓN ANTE EL ENCARCELAMIENTO DE LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA
MOVIMIENTOS SOCIALES VIA CAMPESINA Y ALBA CAPÍTULO HAITÍ
LEKOL FÒMASYON POLITIK CHARLEMGNE PERALTE

La Escuela de Formación Política Charlemagne Peralte, los Movimientos sociales del capítulo ALBA-Haití y de la CLOC -Vía Campesina-Haití, enviamos un saludo con fuerza y coraje a los movimientos sociales de Brasil en la lucha que desarrollan cada día para exigir la liberación del ex presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Levantamos nuestros puños bien en alto para apoyar la lucha de la clase trabajadora brasilera que pelea por esa reivindicación. La prisión de Lula es una estrategia de la derecha retrógrada que actúa bajo los intereses imperialistas, principalmente de los Estados Unidos. Las organizaciones haitianas que luchamos por acabar con el sistema de dominación, explotación y exclusión de las masas populares, declaramos:

El encarcelamiento de Lula es una operación política de la derecha para impedir que la lucha por la democracia popular avance en Brasil.
Todas las mentiras que la prensa dominante hace sobre las espaldas de Lula no tienen ningún fundamento ni prueba. Por el contrario, son una maniobra de los países imperialistas para impedir la emancipación y la lucha popular en América Latina.
Decidimos ponernos de pie junto a toda forma de resistencia para la liberación del líder político del pueblo brasilero. Por esto, los movimientos sociales del ALBA y la Vía Campesina hemos realizado una movilización para solidarizarnos con la clase trabajadora brasilera y pedir a la justicia por la liberación de Lula.

¡GLOBALICEMOS LA LUCHA!
¡GLOBALICEMOS LA ESPERANZA!
¡LOS PUEBLOS QUE LUCHAN JAMAS PERDERÁN LA BATALLA!

Para la autencidad de las organizaciones :
Chavannes Jean-Baptiste
Doudou Pierre Festil
Juslene Tyresias
Camille Chalmers”

Publicação de: Brasil de Fato – Blog

Museu da Parteira recebe premiação de preservação do patrimônio cultural amanhã


Reconhecimento

Entrega da premiação acontece na sexta-feira (17) às 9h, no Teatro Santa Isabel, em Recife

Da Redação |
A proposta resgata e dá visibilidade a histórias de mulheres que ajudaram a construir uma tradição ainda pouco estudada Divulgação

O Museu da Parteira recebe nesta sexta-feira (17), a partir das 9h, o 3º Prêmio Ayrton de Almeida Carvalho de Preservação do Patrimônio Cultural, na categoria Acervo Documental e Memória. O museu é uma proposta de documentação, valorização e salvaguarda dos saberes e práticas das parteiras tradicionais. 
Desde 2012, as Associações de Parteiras Tradicionais de Jaboatão dos Guararapes e de Caruaru, o Grupo Curumim, o Grupo de Pesquisa Narrativas do Nascer (DAM/UFPE) e o Instituto Nômades, em conjunto com profissionais de diversas áreas, têm desenvolvido ações de valorização do ofício de parteira, compondo em processo o Museu da Parteira.
A proposta resgata e dá visibilidade a histórias de mulheres que exerceram e exercem o ofício do partejar e que ajudaram a construir uma tradição ainda pouco estudada. Entre as ações desenvolvidas pelo museu, destacam-se a produção de material bibliográfico, fotográfico, audiovisual e expográfico apresentados em diferentes eventos. O Museu, desejado pelas próprias parteiras, é um projeto em construção com elas mesmas que são detentoras de bens culturais, e nasceu e cresce como proposta de um centro de referência sobre esse universo.

Publicação de: Brasil de Fato – Blog

Dilma denuncia: Tucanos usam um laranja do MBL como testa-de-ferro para impugnar minha candidatura e me cassar de novo

Divulgação

Mais um escondidinho de tucano

Dilma: “Resolveram, com mãos de gato, usar um testa-de-ferro dos tucanos, um laranja do MBL, para continuar dando seus golpes contra a soberania popular”

Dilma.com.br

O esforço dos golpistas de me calar é odioso. Os tucanos não têm a coragem de colocar a cara abertamente e impugnar minha candidatura ao Senado.

Resolveram, com mãos de gato, usar um testa-de-ferro dos tucanos, um laranja do MBL, para continuar dando seus golpes contra a soberania popular.

Querem, agora, impedir que o povo de Minas escolha nas urnas quem representará o estado no Senado da República.

Como estão fazendo com Lula, querem me cassar novamente. Mas não adianta.

A Justiça deve prevalecer. Os tucanos, que são contra a soberania popular porque sempre perdem quando as urnas falam, não conseguirão nos impedir.

Vamos, juntos com Lula, fazer o Brasil Feliz de Novo.

Minas e o Brasil querem um país, sem essas artimanhas golpistas, um país democrático, mais justo e menos desigual.

Dilma Rousseff
Candidata ao Senado

O post Dilma denuncia: Tucanos usam um laranja do MBL como testa-de-ferro para impugnar minha candidatura e me cassar de novo apareceu primeiro em Viomundo – O que você não vê na mídia.

Publicação de: Viomundo

Marcio Sotelo: O que o texto vazio de Fachin sobre um ano da morte de Teori esconde

Foto: Carlos Humberto/SCO/STF

O QUE O TEXTO VAZIO DE FACHIN ESCONDE

por Márcio Sotelo Felippe*, em grupo de whatsapp,  sugestão de Lúcia Rodrigues

Fachin, com mais dois co-autores, faz o necrológio de 1 ano da morte de Teori na Tendências e Debates da FSP.

O texto podia ser usado em algum curso sobre como escrever como exemplo sobre como não escrever.

Um amontoado de frases vazias e abstrações. “Eterna lição de prudência”, “exemplo de serenidade, firmeza e conhecimento” “aplicador sistemático e racional da ordem normativa”, “afazeres interpretativos que resistiram aos argumentos de ocasião”, “apologista da prudência”, “respeito reflexivo da ordem jurídica”.

Também podia ser usado em um bom curso de Filosofia do Direito como exemplo da retórica jurídica e seu papel ideológico de ocultar o real e o concreto.

Mas a víbora peçonhenta está escondida embaixo de uma pedra a surpreender o caminhante desavisado: “Suas decisões sempre souberam que a maturação de sentidos, na arena jurídica, deve ser desenvolvida sob os fundamentos da colegialidade, da hierarquia normativa e da não intromissão”.

Ei-lo que surge!!! O princípio da colegialidade!!!

Não era mesmo que o Judiciário devia garantir os direitos e garantias fundamentais? Não, nada disso.

O juiz virtuoso respeita é o princípio da colegialidade (por meio do qual Rosa Weber manteve Lula preso e o TJ-SP quis punir Kenarik Boujikian).

E nós, ingênuos cidadãos, aprendemos agora que acima dos princípios constitucionais, dos direitos da pessoa humana, da liberdade, está o princípio da colegialidade.

Se o direito dos réus está em conflito com a colegialidade, prevalece a colegialidade, a decisão errada, desde que coletiva.

No fim, o artigo mostra o descaramento do papel do Judiciário no golpe e a retórica que sempre foi usada nas ditaduras para encobrir ou justificar decisões autoritárias e violar direitos.

Podia ter poupado o morto para isso.

Marcio Sotelo Felippe é advogado e foi procurador-geral do Estado de São Paulo. É mestre em Filosofia e Teoria Geral do Direito pela USP. 

Leia também:

Gleisi: Dodge mais rápida que Bolt para barrar Lula

O post Marcio Sotelo: O que o texto vazio de Fachin sobre um ano da morte de Teori esconde apareceu primeiro em Viomundo – O que você não vê na mídia.

Publicação de: Viomundo

Programa de Lula propõe fim de auxilio-moradia e férias dobradas de juízes

O plano de governo de Luiz Inácio Lula da Silva propõem o fim de privilégios, em especial o auxílio-moradia, para juízes e membros do Ministério Público, novas regras para as delações premiadas e mudanças nas leis de combate à corrupção para evitar a “criminalização da política”.

Nas 61 páginas do documento Plano Lula de Governo (2019-2022), a palavra corrupção aparece sete vezes. A primeira delas, na mensagem de apresentação dos temas, em que trata do capítulo primeiro do texto sobre a “refundação da democracia”.

Lula e a coligação O Povo Feliz de Novo (PT, PCdoB e PROS) propõem a promoção de uma “reforma do sistema de Justiça” e dizem que a “pauta do combate à corrupção não pode servir à criminalização da política”.

“Ela não legitima a adoção de julgamentos de exceção, o atropelamento dos direitos e garantias fundamentais ou a imposição de uma agenda programática que visa privatizar os serviços e o patrimônio público.”

O documento é dividido em cinco eixos temáticos e foi oficializado nesta quarta-feira, 15, quando o registro da candidatura do petista chegou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Na apresentação dos capítulos, o plano fala em “tirar o Brasil da encruzilhada histórica” em que “direitos foram cassados, violados e massacrados” em um curto período – sem citação expressa à Operação Lava Jato. “A perseguição judicial a Lula com amplo respaldo midiático busca justamente interditar essa alternativa democrática.”

Condenado em segunda instância na Lava Jato, no caso triplex, a 12 anos e um mês de reclusão – pena que cumpre em uma sala especial da Polícia Federal, em Curitiba, desde o dia 7 de abril – Lula está inelegível, segundo as regras da Lei da Ficha Limpa. Mesmo assim, o partido protocolou documento com seu nome como cabeça de chapa, tendo como vice o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad.

Nesta terça-feira, 14, o Ministério Público Federal pediu à Justiça Federal que proíba a presidente do PT, Gleisi Hoffmann de visitar Lula como advogada dele na PF e diz que o ex-presidente e os petistas usam a cela especial em que está detido como comitê de campanha.

Privilégios. No capítulo “Promover a reforma do Sistema de Justiça”, item 1.2.4 do plano, a coligação prega o fim de privilégios como o auxílio-moradia para juízes e procuradores, mudanças nas regras de escolha dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e em leis de combate à corrupção e controle social na administração da Justiça.

“Fim do auxílio-moradia para magistrados, membros do Ministério Público e demais agentes públicos que possuam casa própria e residam no domicílio ou que usem imóvel funcional”, propõem o documento.

Segundo o plano, é preciso “eliminar os privilégios e favorecer o ingresso e a ascensão nas carreiras do Sistema de Justiça a todos os segmentos da população”.

“Em um país tão marcado por desigualdades históricas e estruturais de classe, de raça e de gênero, a elitização das carreiras do sistema de Justiça amplia fossos entre o mundo do Direito e a vida das pessoas comuns.”

Fala ainda em “redução do período de férias de 60 para 30 dias para todas as carreiras que conservam esse privilégio” e “a regulamentação definitiva e segura da aplicação do teto ao funcionalismo público”.

“O acúmulo de privilégios inadequados demanda, como em todos os poderes da República, a salvaguarda dos princípios da moralidade e legalidade em ações concretas, como a proibição total de patrocínios empresariais a eventos das associações, instituições e carreiras do Sistema de Justiça.”

Delações. O plano de governo de Lula informa que o governo do PT, se eleito, vai promover mudanças na Lei de Organizações Criminosas, de 2013, marco legal de regulamentação das delações premiadas que permitiram à Lava Jato o avanço das investigações e as provas do bilionário esquema de corrupção na Petrobrás.

“As delações premiadas, previstas na Lei das Organizações Criminosas, também não podem se prestar a proteger bandidos confessos e a condenar pessoas inocentes”, informa o documento. “Isso porque delações premiadas só podem ser consideradas válidas após a apresentação de provas mínimas que sustentem as acusações.”

Segundo o plano, “o governo constituirá comissões de alto nível para promover a avaliação de impacto e propor alterações para o aperfeiçoamentos de leis apontadas pela comunidade jurídica como violadoras de direitos e garantias constitucionais, que interditam a política em função de uma aplicação prática que desvirtua a finalidades”.

A proposta diz que as “leis extremamente relevantes com o objetivo de prevenir e punir crimes como o de corrupção, o crime organizado e o atentado contra o Estado”, aprovadas nos governo Lula e Dilma Rousseff, têm sido usadas de forma errada.

“Se, de um lado, o País avançou na repressão a ilícitos cometidos pelos mais ricos e poderosos, o texto de algumas leis, por outro lado, tem permitido, ao longo de sua aplicação, um desvirtuamento que atenta contra a democracia, os direitos e garantias individuais estabelecidos como cláusula pétrea pela Constituição de 1988.”

Além das delações, cita mudanças na Lei Antiterrorismo e também nas regras para os acordos de leniência  (espécie de delação para empresas). “Os acordos de leniência, previstos na Lei Anticorrupção, não devem ser usados para proteger empresários corruptos em prejuízo da empresa e dos trabalhadores.”

Ontem mesmo, o TSE recebeu os primeiros pedidos de impugnação da candidatura de Lula. O ministro Luís Roberto Barroso, vice-presidente do tribunal, foi sorteado para assumir a relatoria.

Com informações do Estadão.

O post Programa de Lula propõe fim de auxilio-moradia e férias dobradas de juízes apareceu primeiro em Blog da Cidadania.

Publicação de: Blog da Cidadania

Defesa de Lula apelará simultaneamente ao TSE e ao STJ

A defesa de Lula deve entrar nesta quinta (16) com um pedido no STJ (Superior Tribunal de Justiça) para que a corte suspenda a inelegibilidade do ex-presidente.

A ideia é travar duas batalhas jurídicas paralelas: no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), que na quarta (15) recebeu o registro da candidatura, e agora no STJ.

Os advogados tentarão usar o argumento de que a corte eleitoral não pode impugnar o registro de Lula antes que o Superior Tribunal de Justiça decida se ele é ou não inelegível.

Um dos exemplos que devem ser citados no pedido é o do deputado federal João Rodrigues(PSD-SC). Cumprindo pena de prisão em regime semiaberto em Brasília, ele obteve liminar do STJ que suspende sua inelegibilidade e permite que ele concorra à reeleição em liberdade.

Na decisão, o ministro Rogerio Schietti Cruz diz que houve prescrição da pena e invocou o “iminente e irreversível risco” de natureza eleitoral para Rodrigues.

Com informações da Folha de S. Paulo.

O post Defesa de Lula apelará simultaneamente ao TSE e ao STJ apareceu primeiro em Blog da Cidadania.

Publicação de: Blog da Cidadania

Tribunal de Contas barra privataria de Doria

O Tribunal de Contas do Município de São Paulo suspendeu a concessão do complexo do Pacaembu, que teria os envelopes abertos e a empresa vencedora revelada nesta quinta-feira (16). A gestão Bruno Covas (PSDB) contava com a desestatização como a primeira do grande pacote anunciado pela gestão tucana, iniciada por João Doria (PSDB).

Doria é candidato ao governo do estado e contava com a concessão do Pacaembu como primeiro grande triunfo de seu programa, sobre o qual poderia capitalizar durante sua campanha.

A suspensão da concessão pelo tribunal não tem prazo definido para ser concluída, o que significa que pode ficar para apenas depois das eleições.?

A suspensão é o episódio mais agudo de relação tensa que a prefeitura e o TCM têm mantido desde o início da passagem de Doria pela gestão municipal. O projeto de concessão dos cemitérios foi barrado por sete meses, em sua fase inicial, entre 2017 e 2018. A privatização do Anhembi e o projeto de revitalização de pontes das marginais também foram alvos de questionamentos dos conselheiros do órgão.

?Covas tentou colocar panos quentes no relacionamento desde que virou prefeito, em abril, mas tem sofrido tanto quanto o antecessor com as decisões do TCM. Em junho, a poucos dias do anúncio das empresas vencedoras da licitação de ônibus na cidade, o conselheiro Edson Simões decidiu suspender o processo. Ele encontrou 51 irregularidades e 20 inconformidades no edital, e apresentou 19 recomendações.

Pelo planejamento de Doria, já deveriam estar nas mãos da iniciativa privada pelo menos o primeiro pacote de parques, que inclui o Ibirapuera, os cemitérios e o Anhembi.

Além de dificuldades na Câmara e no Tribunal de Contas do Município, a prefeitura atribui o atraso ao que chama de “judicialização excessiva” e ao calendário eleitoral, diz Wilson Poit, secretário de Desestatização e Parcerias.

No caso dos parques, o governador Márcio França (PSB), rival de Doria nas eleições, negou em julho a cessão de áreas do Ibirapuera que pertencem ao estado, alegando não ter sido consultado.

Com isso, Covas teve que reformular o pacote, deixando só o Ibirapuera (excluindo áreas estaduais) e o parque Lajeado (zona leste), sem outros quatro que também ficariam sob responsabilidade privada.

No começo do mês, a Justiça decidiu que os prédios do Anhembi não podem ser demolidos, o que não impede a privatização diretamente, mas pode inviabilizá-la —dificilmente haveria interessados nessas condições.

“A judicialização excessiva, o calendário eleitoral e o desconhecimento do que é desestatização, concessão e privatização colaboram para atrasar, mas sou otimista e acho que conseguiremos realizar [o pacote prometido por Doria]”, disse Poit à Folha na terça-feira (14). Para ele, é possível ter dez editais de concessão abertos até o final de 2018, incluindo o terminal de ônibus Princesa Isabel e os parques.

O PROJETO DE REFORMA

A gestão Covas diz que a reforma deverá seguir os parâmetros definidos em projeto aprovado pela prefeitura e por órgãos de preservação do patrimônio municipal e estadual (Conpresp e Condephaat). Ele foi elaborado por consórcio do qual participa empresa do ex-jogador Raí.

A intervenção mais radical é a derrubada do tobogã para a construção de um edifício translúcido, reduzindo a capacidade do estádio de 40.199 para 26.824 pessoas.

Esse edifício multiuso deve ter sua vocação definida pelo consórcio ganhador. Possibilidades que já chegaram à mesa da prefeitura envolvem a criação de hotel, restaurantes, escritórios para empresas de inovação (uma espécie de incubadora) e uma faculdade.

No subsolo do edifício deve ser construído um estacionamento com 650 vagas. O piso térreo funcionaria como uma passagem entre o estádio e o centro esportivo, dissolvendo a barreira imposta pelo tobogã —que, para a empresa, teria “baixa qualidade arquitetônica”, deturparia o conceito original do estádio (foi construído depois) e ofereceria uma visão ruim do campo.

Além disso, há a intenção de instalação de coberturas nas arquibancadas laterais (leste e oeste) e a completa reforma das instalações hidráulica e elétrica —no ano passado, diversas partidas de futebol no estádio foram interrompidas devido a quedas de energia.

O edital abrange o estádio e o clube e não engloba o Museu do Futebol, que pertence ao governo do estado, nem a praça Charles Miller.

“Nossa visão para o futuro do complexo do Pacaembu é ancorada em três pilares: primeiro, transformar o Pacaembu em Parque Urbano Esportivo, aberto para a população todos os dias da semana. Segundo, restaurar o estádio, respeitando as diretrizes do tombamento, mas adaptando as normas atuais de segurança e conforto. Terceiro, criar um espaço para hospedar empresas da economia criativa e um mercado gastronômico”, diz Paulo Velasco, empresário que é sócio de Raí.

Segundo a prefeitura, está garantido no edital que nada mudará para aqueles que frequentam o clube, que continuará aberto gratuitamente para a população que desfruta das piscinas e quadras. Atualmente, basta fazer um cadastro na secretaria do clube para ter acesso a ele.

O valor mínimo de outorga que deve ser pago pelas interessadas é de R$ 37 milhões. O vencedor será o consórcio que oferecer o maior valor. A prefeitura projeta R$ 500 milhões em ganhos ao município em mais de três décadas, incluindo outorga, investimentos e novos impostos.

Em 2017, segundo a gestão Covas, houve gastos de R$ 8,3 milhões, contra receita de R$ 2,3 milhões do Pacaembu.

OUTROS ITENS NA LISTA DE PRIVATIZAÇÕES DE COVAS

106 parques:

Modelo Concessão
Período de concessão 35 anos
Custo anual R$ 180 milhões
Em que fase está Suspenso para mudanças no edital, a ser lançado no 2º sem. de 2018. Primeiro pacote deve apenas incluir Ibirapuera e Lajeado.
O que a prefeitura quer Conceder parques cobiçados com desvalorizados, para que estes sejam revitalizados

O post Tribunal de Contas barra privataria de Doria apareceu primeiro em Blog da Cidadania.

Publicação de: Blog da Cidadania

Golpe: economia despenca no segundo trimestre

A atividade econômica, fortemente impactada pela paralisação doscaminhoneiros em maio, caiu 0,99% no segundo trimestre, divulgou o Banco Central nesta quarta-feira (15).

A alta de 3,29% do IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do BC) em junho, na comparação com maio, foi suficiente para recuperar quase toda a queda de 3,28% no mês anterior, mas não foi capaz de fazer o índice fechar o trimestre no positivo, interrompendo assim cinco períodos seguidos no azul.

Nos três primeiros meses do ano, o avanço foi de 0,2%.

Em maio o país sofreu com a paralisação dos caminhoneiros, que prejudicou diretamente a atividade e abalou ainda mais a confiança de empresariado e consumidores.

Em junho, por exemplo, a produção industrial brasileira saltou 13,1% sobre o mês anterior, apagando os efeitos negativos provocados pela paralisação nas rodovias.

O volume do setor de serviços do Brasil também cresceu, com alta de 6,6% em junho, no melhor desempenho da série histórica, mas recuperando-se da queda de 5% registrada em maio, quando ocorreu a paralisação.

Já as vendas no varejo brasileiro surpreenderam em junho ao encolherem pelo segundo mês seguido. A queda foi 0,3% na comparação com o mês anterior, registrando o pior desempenho para junho desde 2015 (quando a queda foi de 1,1%).

Apesar da taxa de desemprego ter desacelerado no segundo trimestre do ano, o contingente fora da força de trabalho chegou a 65,6 milhões, alta de 1,2% sobre o período anterior e o mais alto da série histórica do IBGE, iniciada em 2012.

Na mais recente pesquisa Focus, feita pelo BC junto a uma centena de economistas todas as semanas, a projeção para o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) passou a 1,49 % este ano, frente a 3% há poucos meses.

Ainda que a inflação e os juros sigam em níveis baixos, o desemprego elevado tem contido o consumo, barrando melhora mais significativa da economia num ano também marcado por incertezas ligadas às eleições presidenciais, quadro que tem entrado com cada vez mais força no radar dos agentes econômicos.

O IBGE divulga os dados do PIB do segundo trimestre no dia 31 de agosto. De janeiro a março de 2018, o crescimento foi de 0,4% sobre os três meses anteriores, marcando o quinto período seguido no azul, com ajuda da agropecuária.

O IBC-Br já foi considerado uma “prévia” do PIB, mas deixou de ser usado desta forma, já que os resultados podem não ser próximos aos do IBGE.

Com Reuters.

O post Golpe: economia despenca no segundo trimestre apareceu primeiro em Blog da Cidadania.

Publicação de: Blog da Cidadania

Stedile repudia notícia do site Diário de Poder: “Ofensiva, mentirosa; engana e desinforma os leitores”

Stedile esclareceu não ser a pessoa identificada na foto e classificou a matéria como “ofensiva e mentirosa”. Foto: Guilherme Santos/Sul21

João Pedro Stedile é alvo de mais uma notícia falsa

Dirigente do MST foi acusado, indevidamente, de “usar uma sala VIP” enquanto sem-terra marchavam no Planalto Central

Redação do Brasil de Fato

João Pedro Stedile, da direção nacional do MST, foi alvo de mais uma notícia falsa.

Nesta terça-feira (14), o site Diário do Poder, editado pelo jornalista Cláudio Humberto, acusou o dirigente de “usar uma sala VIP enquanto sem-terra enfrentam sol e umidade desértica”.

O repórter André Britto, que assina a matéria, associou, indevidamente, a foto de um senhor com boné do MST, em uma sala não identificada, à figura de Stedile.

A suposta denúncia ocorre durante a Marcha Nacional Lula Livre, que começou na última sexta-feira (10), com mais de 5 mil camponeses marchando rumo à Brasília, para registro da candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), nesta quarta-feira (15), no Tribunal Superior Eleitora (TSE).

Em nota, o dirigente sem-terra esclareceu não ser a pessoa identificada na foto e classificou a matéria como “ofensiva e mentirosa”.

“Repudiamos o conteúdo sensacionalista da matéria e a utilização de notícias falsas como expediente para enganar e desinformar os leitores e a sociedade”, denunciou.

O Brasil de Fato entrou em contato com o Diário do Poder para que pudesse se pronunciar sobre o ocorrido, mas não obteve resposta até a publicação desta reportagem.

Leia também:

Gleisi: Dodge mais rápida que Bolt para barrar Lula

O post Stedile repudia notícia do site Diário de Poder: “Ofensiva, mentirosa; engana e desinforma os leitores” apareceu primeiro em Viomundo – O que você não vê na mídia.

Publicação de: Viomundo

Ato simbólico ocorre no mesmo momento de registro de candidatura de Lula


VIGÍLIA LULA LIVRE

Na frente da superintendência da PF, em Curitiba, movimentos populares organizam ato político e celebram resistência

Camila Vida |
Foi informado aos militantes ali presentes, em frente ao prédio da superintendência da Polícia Federal, que o registro havia sido feito Joka Madruga

Nesta quarta-feira (15), a Vigília Lula Livre, em Curitiba, promoveu um ato político para marcar o momento do registro da candidatura de Lula no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O ato foi feito na mesma tarde da mobilização organizada em Brasília.

Às 17h30, foi informado aos militantes ali presentes, em frente ao prédio da superintendência da Polícia Federal, que o registro havia sido feito, notícia recebida com aplausos.

Estiveram presentes diversas organizações e movimentos populares, caso da CUT, Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Consulta Popular, sindicatos da capital e do interior do estado, metalúrgicos, bancários, petroleiros, professores estaduais, movimentos de moradia, entre outros, ao lado de militantes e candidatos do Partido dos Trabalhadores, caso de Dr Rosinha e Anaterra Viana, nomes para governador e vice ao governo do estado.

Firmeza

Robson Formica, dirigente nacional do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) colocou a importância da firmeza da militância nesse momento. “Uma campanha em meio a um Estado de Exceção, em meio a um golpe de Estado, portanto a luta popular deve se intensificar, a mobilização popular e a campanha eleitoral devem andar de mãos dadas”, explicou.

Injustiça

Hillma de Lourdes, do Movimento Nacional de Luta por Moradia (MNLM) relatou que quando esteve presente na criação do Ministério das Cidades, foi testemunha de momento em que o cidadão teve de fato, representatividade. “Pensar a cidade, pensar a reforma urbana e uma nova forma de convivência é nosso dever. Mas para isso precisamos eleger o companheiro Lula. É triste ver as pessoas sem ter o direito a morar, e um juiz inescrupuloso ganha R$ 4.300 de auxílio-moradia, isso é roubo”, declarou Hilma.

Pressão

Florisvaldo Souza, dirigente nacional do PT, afirmou que o momento é de pressão. “Agora nós temos que fazer todo tipo de pressão; aqui na Vigília, nos lugares em que atuamos politicamente; para que o judiciário não cometa mais o absurdo de tentar impedir a candidatura do presidente Lula, que é a vontade do povo brasileiro, principalmente a vontade do povo pobre”, declarou.

O ato, que também contou com apresentações de artistas populares, se encerrou com  apresentação de poemas, canções e o tradicional Boa Noite Presidente Lula.

Publicação de: Brasil de Fato – Blog

© 2018 bita brasil

Theme by Anders NorénUp ↑